PETA quer que Elon Musk teste chip em seu próprio cérebro, não em porcos

Animais foram utilizados em live para apresentar o progresso do projeto

por Soraia Alves

Como prometido, na última sexta-feira Elon Musk fez a primeira demonstração pública do chip que pretende conectar o cérebro humano a smartphones. O projeto, desenvolvido pela startup Neuralink, tem como objetivo o implante de dispositivos com Inteligência Artificial no corpo humano para ajudar em casos como a recuperação de lesões físicas e motoras. No entanto, para apresentar o progresso do projeto durante a transmissão ao vivo foram usados porcos como cobaias, o que levou a uma manifestação do PETA, organização não governamental que luta pelos direitos animais.

“O PETA desafia Elon Musk a se comportar como um pioneiro e implantar o chip Neuralink em seu próprio cérebro, em vez de explorar porcos inteligentes e sensíveis que não se ofereceram para fazer tal cirurgia”, disse a presidente da PETA, Ingrid Newkirk, em comunicado.

Durante a demonstração, os porcos apareceram junto do tratador. A atividade neural de Gertrude, um dos animais apresentados, foi exibida em um gráfico que documentou os sinais do processador implantado em seu cérebro. A ação apontou especificamente sua procura por comida.

Durante a live foi especificado que os animais estavam saudáveis e que os chips foram posteriormente removidos. Ainda assim, a presidente do PETA diz que os animais devem ser “deixados de fora de projetos fantásticos” como o de Musk.

O dispositivo da Neuralink contém uma pequena sonda com mais de 3 mil eletrodos amarrados a fios flexíveis mais finos do que um fio de cabelo humano. Espera-se que a inovação seja capaz de monitorar a atividade de 1.000 neurônios cerebrais.

A live com a demonstração do chip Neuralink pode ser vista abaixo:

Compartilhe: