cover-uber2

Uber consegue recurso na justiça e volta a operar em Londres

Empresa ganhou licença de 18 meses para funcionar na cidade enquanto processo continua na justiça inglesa para definir se aplicativo garante ou não segurança dos passageiros

por Pedro Strazza

O Uber desde novembro de 2019 enfrenta um imbróglio jurídico na cidade de Londres, onde se viu proibida de atuar devido ao que foi definido na época como um “padrão de erros” na segurança da empresa. Mas depois de quase um ano com operação paralisada na capital britânica, a companhia venceu um recurso nos tribunais e ganhou uma licença de 18 meses para funcionar na metrópole, enquanto o processo continua a se desenrolar.

De acordo com o Bloomberg, a decisão emitida pelo juiz Tan Ikram declara que o Uber estaria no momento “adequada” para operar na cidade, embora admita que a empresa tem “falhas históricas” a reparar. “Eu estou satisfeito que eles estejam fazendo o que é esperado de um negócio razoável do setor, até mais” escreve o vice-magistrado chefe no documento.

A questão gira em torno dos problemas do aplicativo para verificar a identidade dos motoristas inscritos em seu programa e garantir assim a segurança dos passageiros, fatores determinantes na revogação da licença ano passado pelo departamento de transportes de Londres. De acordo com a BBC News, um problema no aplicativo permitiu que 24 motoristas compartilhassem sua conta com outros 20 usuários, gerando um total de quase quinze mil viagens por pessoas diferentes – isso teria sido possível porque os trabalhadores puderam subir suas fotos de perfil em outras contas da plataforma.

Os envolvidos na operação já tiveram sua licença para dirigir pelo Uber revogadas, mas o problema é que todas estas corridas foram feitas sem a garantia de que o passageiro estaria seguro dentro do veículo. É o que leva a Associação de Motoristas de Táxi do Reino Unido a criticar a decisão de hoje, classificando a permissão do Uber para voltar a operar como “um desastre para Londres”: “Parece que o Uber é muito grande para ser regulado de fato, mas muito grande para fracassar” escreve a organização na declaração oficial.

Em nota oficial, o Uber define a decisão como “um reconhecimento de seu compromisso com a segurança” e comenta que vai “continuar a trabalhar construtivamente com o Transport for London” para garantir que casos do tipo não se repitam na cidade no futuro.

Compartilhe: