0383b87463ff7032291febd2a1e1e9ac

Ninguém aguenta mais acompanhar a apuração das eleições presidenciais dos EUA nas redes sociais

Do processo eleitoral complexo ao desespero para saber quem assume a presidência nos próximos 4 anos, tudo envolvendo a votação virou piada no Twitter e no TikTok nas últimas 48 horas

por Pedro Strazza

Que as eleições para presidente dos Estados Unidos iam ser tensas em 2020 todo mundo já sabia, mas o que talvez ninguém antecipou é que o processo para saber quem assume o executivo do país pelos próximos 4 anos fosse ser tão sofrido. Depois do término da coleta dos votos da população no último dia 3 de novembro, a apuração agora se aproxima a passos lentos e dolorosamente vagarosos das 72 horas de duração, longe de qualquer resultado definitivo.

Não bastasse a demora e a dúvida, o processo eleitoral já conta com todo tipo de causo. Contagem interrompida, estados demorando dias para divulgar resultados, cédulas enviadas pelo correio sendo contestadas, Donald Trump e apoiadores tendo posts limitados por promover desinformação… há de tudo e para todos os (des)gostos, mas a única certeza é só uma: está sendo um inferno absoluto acompanhar tudo isso pelas redes sociais, em especial no Twitter e no TikTok que são centros de atenção e produção de conteúdo infinito.

Neste caso, é apenas óbvio que o humor ia imperar para disfarçar o nervosismo envolvido – um que algumas marcas ainda não perceberam, vale dizer. No Brasil, a principal piada é em torno da verdadeira loucura que é o sistema eleitoral norte-americano, que ainda usa cédulas de papel para coletar votos e conta com todo tipo de lei biruta. No Twitter, declarações de amor pela urna eletrônica brasileira acontecem a rodo, incluindo do próprio perfil do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (?):

https://twitter.com/TRESCjusbr/status/1324012782686248961

Outros já preferem tirar sarro da complexidade em torno do que conta como “voto” no processo eleitoral. É bom lembrar, os EUA definem vitoriosos na presidência a partir de um sistema de delegados, que representam a maioria dos votos em cada estado – em resumo, ao invés de uma maioria populacional o candidato tem que chegar a uma maioria de 270 delegado para se consagrar como presidente.

Mas se ao redor do mundo a zuera se dá com o sistema, entre os norte-americanos o escárnio são os meandros dos quatro estados que se tornaram decisivos para a definição da presidência a Donald Trump e Joe Biden – em particular, sua demora excruciante. No Twitter e no TikTok sobram memes e piadas com Nevada, literalmente o único estado que deu um “tempo” de 24 horas para divulgar os resultados.

https://www.tiktok.com/@lmaolydiaaa/video/6891417136497970437?sender_device=pc&sender_web_id=6891707711504074246&is_from_webapp=1
https://www.tiktok.com/@rnull9/video/6891527521955892485?sender_device=pc&sender_web_id=6891707711504074246&is_from_webapp=1

Quem se deu muito bem nesta equação é “Better When I’m Dancin'”. Já há algum tempo viralizada no TikTok, a faixa cantada por Meghan Trainor foi ressignificada na rede social nestas últimas horas para refletir o desgraçamento do público em ver a demora de alguns estados para apurar e revelar os resultados.

https://www.tiktok.com/@sarahhh0898/video/6891436297630518534?sender_device=pc&sender_web_id=6891707711504074246&is_from_webapp=1

O fato é que é tudo muito fora da casa na terra do tio Sam, que passou por uma vergonha alheia gigantesca ao ver Wisconsin pausar a apuração por motivos de falta de tinta nas impressoras – e nunca que alguém ia perdoar uma mancada dessas.

O fato é: todo mundo está exausto. Considerando que o resultado vai definir o rumo do país e do mundo em todas as instâncias nos próximos quatro anos, a polarização da votação e a ausência de um resultado estão minando todas as forças do público. Se já não bastasse a pandemia, agora ninguém aguenta mais ficar online 100% encarando o mapa dos Estados Unidos para descobrir se a maioria do território ficou vermelha (para os republicanos) ou azul (para os democratas) – e é óbvio que a produtividade no trabalho vai pro espaço.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link