carrefourb9

Carrefour cancela Black Friday na França

Ministro francês pede que varejistas evitem ofertar produtos não essenciais para conter segunda onda da COVID-19

por Matheus Fiore

Diante da chegada da segunda onda da COVID-19, o Carrefour concordou em suspender a Black Friday na França, que aconteceria entre os dias 27 e 29 de novembro. O ministro de finanças francês Bruno Le Maire pediu, na última quarta-feira, aos supermercados e varejistas online que adiem as vendas da Black Friday caso não estejam vendendo apenas produtos essenciais.

O presidente-executivo do Carrefour, Alexandre Bompard, conversou com o ministro por telefone: “Bompard disse que concordou em suspender as operações da Black Friday no período sugerido”, disse o porta-voz à Reuters. Outra empresa que foi procurada para suspender suas operações, a Amazon, não chegou a cancelar. Frederic Duval, chefe da Amazon France, não deu nenhuma indicação de que a gigante do varejo online possa cancelar seus planos para o fim de novembro.

A Black Friday é um dos maiores períodos de vendas do mercado mundial. Diante da pandemia do novo coronavírus, portanto, é uma grande preocupação a possibilidade de consumidores aglomerarem em comércios a fim de comprar produtos com descontos. A sugestão do ministro, então, é sugerindo que, ao menos, produtos não essenciais não sejam ofertados para diminuir essas aglomerações.

As mais diversas empresas têm repensado suas estratégias de venda não só para a Black Friday, mas para todas as formas de venda, em virtude da pandemia. A Sony, por exemplo, abriu mão de vender o PlayStation 5 em lojas físicas, justamente para evitar aglomerações que possam gerar ondas de contágio do coronavírus.

Compartilhe: