Com ajuda do Cinemark, "Army of the Dead" será o 1° grande lançamento da Netflix nos cinemas dos EUA
Imagem: Clay Enos/Netflix

Com ajuda do Cinemark, “Army of the Dead” será o 1° grande lançamento da Netflix nos cinemas dos EUA

Filme de Zack Snyder vai ser exibido em 600 salas do país uma semana antes de estrear no streaming, e as duas empresas já garantem mais parcerias para futuros lançamentos

por Pedro Strazza

O jogo enfim parece estar virando a favor da Netflix no circuito de cinemas. Uma das principais redes dos EUA, o Cinemark anunciou na tarde da última terça (4) que vai fazer parte do plano de exibição de “Army of the Dead: Invasão em Las Vegas” nas telonas, uma parceria inédita com o serviço de streaming que torna o filme no primeiro original da plataforma a contar com ampla distribuição no país.

Previsto para estrear no circuito no próximo dia 14 de maio, uma semana antes de estrear mundialmente no catálogo da Netflix, o novo filme de zumbi de Zack Snyder deve passar em cerca de 600 salas espalhadas pelo território estadunidense, sendo que 250 pertencem ao Cinemark – as outras somam de acordos com empresas como a Harkins Theatres, a Landmark Theatres e a Alamo Drafthouse. É de longe o maior lançamento do serviço nas telonas, que sempre precisou recorrer a circuitos limitados ou alternativos (vide “O Irlandês” na Broadway) para qualquer um de seus projetos que tivesse interesse em passar pela distribuição tradicional.

Enquanto ambas as empresas confirmam ao New York Times que “haverão mais” parcerias num futuro próximo, o acordo da Netflix com o Cinemark também acontece na esteira de um grande teste ocorrido no fim do ano passado, quando a rede de cinemas exibiu em algumas salas os filmes “A Voz Suprema do Blues”, “O Céu da Meia-Noite” e “Crônicas de Natal 2”. O resultado positivo parece ter ajudado o Cinemark a topar um projeto de distribuição mais extenso para “Army of the Dead”.

Ajuda muito nessa hora também o cenário de rápida transformação do mercado exibidor, que desde o começo da pandemia se vê encurralado financeiramente entre o fechamento das salas e a redução drástica de público de acordo com o distanciamento social. Enquanto a AMC e a Cineworld, principais redes de cinema dos EUA, toparam reduzir a janela de exclusividade do circuito exibidor para respectivamente 14 e 45 dias depois da estreia de filmes da Universal Pictures e Warner Bros., o sucesso inesperado de “Godzilla vs. Kong” na bilheteria mundial também contribuiu para derrubar o temor dos exibidores de que a estreia simultânea nas telonas e no streaming seriam prejudiciais ao primeiro. O longa da Warner já se aproxima dos 100 milhões de dólares no país e é o maior lançamento norte-americano da pandemia, mesmo estando disponível para sessões no HBO Max.

Para a Netflix, a missão agora é aproveitar este cenário para suavizar a relação com exibidores, e a parceria com o Cinemark é um passo importante para acordos do tipo com a AMC e a Cineworld. O resultado de “Army of the Dead” nas bilheterias da próxima semana deve dar o tom do quão acelerado será este processo, em tese pavimentando o caminho para a expansão desta estratégia ao redor do globo. A aceitação do streaming enfim vai ganhando força no setor.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link