wizard-campanha
Imagem: Reprodução/Twitter

Wizard não fica em silêncio e esclarece que escola de idiomas não tem ligação com Carlos Wizard

Fundada por Carlos Wizard Martins, multinacional foi adquirida pela Pearson em 2013, e reforça isso ao público enquanto empresário está na CPI da Covid

por Soraia Alves

Carlos Wizard Martins é o depoente desta quarta-feira, 30/06, na CPI da Covid, comissão que investiga ações e omissões do governo federal durante a pandemia de Covid-19. O empresário foi requerido por ser considerado um ex-colaborador do presidente Jair Bolsonaro, mas após fazer um discurso inicial, optou por se manter em silêncio mediante todas as perguntas dos senadores.

Com a repercussão da presença de Carlos Wizard na CPI, a escola de idioma Wizard fez questão de divulgar em suas redes sociais que, atualmente, a empresa não tem qualquer relação com o depoente. Na verdade, a multinacional foi sim fundada por Carlos em 1997, mas foi adquirida pela Pearson em 2013. Apesar de manter o nome original, Wizard, hoje a empresa assina com um singelo “by Pearson” como forma de mostrar a transição.

Além de esclarecer ao público sobre que Carlos não é mais o dono da empresa, a escola também se posicionou a favor da ciência e contrária à propagação de fake news: “[…] aproveitamos para enfatizar que somos a favor da vida, da saúde e da ciência”, disse a empresa em seu perfil do Twitter.

Até o momento, Carlos Wizard permanece não respondendo às perguntas da CPI da Covid.

Compartilhe:
  • tags:
icone de linkCopiar link