Por US$ 68,7 bilhões, Microsoft compra Activision
Imagem: Divulgação

Por US$ 68,7 bilhões, Microsoft compra Activision

Acordo torna Microsoft na terceira maior companhia de games do mercado em termos de receita e acontece em meio a crise da Activision por denúncias de assédio na divisão da Blizzard

por Pedro Strazza

Em meio ao que só pode ser a maior crise da sua história, a Activision conseguiu ser vendida à Microsoft. As duas companhias anunciaram nesta terça-feira (18) o negócio, com o primeiro sendo vendido ao segundo pela bagatela de US$ 68,7 bilhões. O valor não apenas é o maior negócio da Microsoft nos games, mas também de sua história, superando com tranquilidade os US$ 26 bilhões gastos por ela para adquirir o LinkedIn em 2016.

Enquanto o acordo espera aprovação de entidades regulatórias para ser finalizado, a Microsoft já escreve em seu blog oficial que a aquisição a tornará na terceira maior empresa de games do mercado em termos de receita, atrás apenas da Tencent e da Sony. Ainda de acordo com a companhia, o plano é introduzir diversos jogos da Activision ao Xbox Games Pass logo após a absorção se completar, com franquias como “Warcraft”, “Diablo”, “Overwatch”, “Call of Duty” e “Candy Crush” se somando ao serviço de assinatura de jogos do Xbox e do PC.

Além de acontecer dezesseis meses depois da Microsoft adquirir a Bethesda – outro acordo grande que agora parece pequeno, dado sua “tarja” de “meros” US$ 7,5 bilhões – o negócio se dá num cenário de plena crise da vendida, mergulhada em inúmeras denúncias de assédio sexual na divisão da Blizzard. Com a empresa sendo processada pelo Departamento de Emprego Justo e Habitação da Califórnia desde julho, a Activision já teve que pagar US$ 18 milhões em um acordo judicial com a Comissão de Igualdade de Oportunidades de Emprego que foi anunciado em setembro e no momento está em estágio de apelação, e na última semana reportagens de diversos veículos indicam que mais de quarenta funcionários foram “saídos” pelo estúdio desde as primeiras denúncias.

Enquanto a velocidade de conclusão do acordo indica que o negócio já estava sendo traçado e ganhou aceleração com a inevitável desvalorização da Activision no mercado pelas polêmicas, ainda não está claro como a Microsoft vai buscar se inserir e lidar com a situação que agora cai no colo. O anúncio apenas confirma que o atual CEO Bobby Kotick está previsto para continuar a exercer o cargo e conta com palavras por cima de Phil Spencer, atual líder da divisão do Xbox.

Isso porque além dos games ainda há o tal do metaverso. No comunicado, o CEO da Microsoft Satya Nadella escreve que a Activision terá um “papel crucial” no desenvolvimento de plataformas da companhia no metaverso, providenciando o que o executivo chama de “conteúdo, comunidade e serviços de nuvem de classe global para desbloquear uma nova era que põe jogadores e criadores de conteúdo em primeiro lugar”, bem como torna a prática inclusiva, segura e acessível.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link