READY PLAYER ONE

Descubra como foi feita AQUELA cena de “Jogador N° 1”

Livro de arte do filme explica como Spielberg e a ILM realizaram o segundo desafio da caça ao easter egg de James Halliday

por Pedro Strazza

“Jogador N° 1” já está nos cinemas há algumas semanas e, conforme mais gente vai ir conferir o novo filme de Steven Spielberg, maior ficar o número de pessoas fascinadas pelo grande clímax do segundo ato do filme. A cena, que mostra o segundo desafio encarado pelos personagens para encontrar o easter egg do falecido milionário James Halliday, difere radicalmente da que foi escrita por Ernest Cline no livro homônimo, o que só aumentou a surpresa geral do público frente a gigantesca referência colocada no momento.

Ninguém sabia até então, porém, como Spielberg e sua equipe foram capazes de executar este momento do filme, mas a publicação do livro de arte do longa “Art of Ready Player One” revelou grande parte da confecção daquele gigantesco espetáculo.

⚠ AVISO: O texto contém spoilers do filme depois da imagem abaixo!

A cena em questão, claro, é a recriação de “O Iluminado”, filme de Stanley Kubrick e adaptação da obra de Stephen King que literalmente vira uma casa de horror típica de parque de diversões a ser visitado pelo protagonista Wade e seus amigos. Para alcançar a segunda chave, os jogadores do filme de Spielberg precisam passar por locações famosas do terror como o quarto 237, o labirinto, a cozinha e o salão de bailes, recriados fielmente pela produção mesmo tendo passado quase 40 anos desde o lançamento do longa.

De acordo com o Gizmodo, o “Art of Ready Player One” mostra que para alcançar esta façanha a equipe de efeitos visuais da Industrial Light and Magic teve que recriar digitalmente todo os cenários originais da obra de Kubrick. Ainda que tenha sido considerado o plano de reconstruir todos os sets, a ideia foi logo descartada porque a cena envolvia os personagens em CGI e Spielberg queria que alguns planos fossem idênticos aos usados na produção.

O que a ILM fez, então, foi usar de um telecine transfer de alta qualidade de “O Iluminado” como referência arquitetural, escaneando-o para o computador afim de refazer digitalmente (e na melhor qualidade possível) os sets do filme. De acordo com o supervisor sênior de efeitos visuais Roger Guyett, o objetivo final era que alguém visse a cena em “Jogador N° 1” e pensasse “Aquilo é um plano de ‘O Iluminado'”.

Basicamente, todo plano no filme que inclui um ator (seja os protagonistas, sejam personagens da obra de Kubrick) foi filmado de fato por Spielberg no set, sendo alinhado depois com o cenário recém-reconstruído digitalmente. Quando era possível incluir uma cena do original, eles incluíam.

O resultado obtido pela ILM foi uma sequência que, embora digital, combina com muita eficiência os planos de “O Iluminado” com o novo material filmado por Spielberg. O truque mais difícil, entretanto, era fazer o espectador acreditar que de fato estava vendo uma cena usada por Kubrick, o que forçou a equipe a recriar e criar todos os elementos do longa homenageado com a mesma iluminação aplicadas em 1980. Até mesmo os grãos da fotografia de John Alcott não escaparam de serem duplicados, num processo realizado para alterar a percepção do público sobre os personagens que adentravam a história atrás da chave escondida por Halliday.

Escrito por Gian McIntyre, “Art of Ready Player One” deve chegar às lojas nos Estados Unidos no próximo dia 17 de abril. Ainda não há previsão de chegada no Brasil, mas você já pode adquirir sua cópia no site da Amazon.

Compartilhe: