20160602-MySpace-sofre-ataque-cracker-e-mais-de-360-milhioes-de-senhas-sio-divulgadas-na-web

Sim, o Myspace ainda existe e está prestes a ser vendido (de novo)

Revistas Time e Sports Illustrated também estão nos planos de venda pela Meredith Corp, a atual dona da plataforma abandonada

por Pedro Strazza

Existe o esforço, existe o guerreirinho e existe o Myspace. A empresa fundada por Chris DeWolfe, Tom Anderson e Jon Hart foi por grande parte dos anos 2000 a maior rede social do mundo, mas com a escalada rápida do Facebook a plataforma se viu numa queda vertiginosa que culminou em sua venda em 2009 para a News Corp de Rupert Murdoch por meros 580 milhões de dólares.

Este, porém, não foi o fim da plataforma, que por incrível que pareça persiste no mercado mesmo não sendo mais acessado ou utilizado no cotidiano por um número substancial de pessoas. O Myspace ainda passaria por novos donos em 2011, quando a News Corp passou a propriedade à Viant Technology por 35 milhões de dólares (isso mesmo, 545 milhões a menos que o negócio anterior), e em 2016, quando a Viant foi comprada pela Time Inc. por valores não divulgados, antes de chegar ao seu status atual de propriedade da Meredith Corp, que no ano passado adquiriu a própria Time Inc..

O Myspace, porém, deve mudar de mãos novamente em breve, pois de acordo com o jornal The Wall Street Journal agora é a vez da Meredith Corp demonstrar interesse em vender a propriedade para outras partes. A plataforma estaria inclusa no pacote de dispensa da Viant Technology, que ainda é mantida como “pai do Myspace” nos meios oficiais.

A “família Viant” não é a única empresa prevista nos planos de negociação da Meredith Corp. Famosa no mercado pela publicação de vários periódicos, a empresa também está analisando a ideia de botar para venda os direitos de publicação das revistas TIME, Fortune, Money e a Sports Illustrated, títulos relativamente (ou muito) famosos nos Estados Unidos e ao redor do mundo. O porquê desta medida? Ninguém sabe ainda, mas quem quer que venha a adquirir o Myspace vai “herdar” os dados de mais de um bilhão de usuários – sendo que cinquenta milhões destes ainda estão ativos na teoria, segundo dados liberados pela Time Inc. na época da compra da Viant.

Compartilhe: