Com França e Croácia na final, Nike enfim volta a ser campeã da Copa do Mundo

Marca é responsável pelos uniformes das duas seleções presentes na final do evento, um feito inédito em sua trajetória

por Pedro Strazza

A Copa do Mundo de 2018 está próxima do fim, restando apenas seus confrontos da disputa do terceiro lugar e da grande decisão em seu corrido calendário. Os dois duelos já tem seus participantes definidos: enquanto Inglaterra e Bélgica se reencontram para vencer o prêmio de consolação, França e Croácia serão as duas seleções que vão lutar em Moscou pela taça do torneio realizado pela FIFA.

Mas ainda que os vencedores de cada partida não tenham sido definidos, uma marca já está muito contente com o resultado independente do placar. Patrocinadora e responsável pela fabricação das camisas dos franceses e croatas – além da dos ingleses – a Nike será novamente dona do manto campeão do mundo no maior dos eventos futebolísticos, um feito que em sua curta História só foi realizado uma única vez quando a seleção brasileira levou o pentacampeonato na Ásia.

Soa estranho esta última informação, mas ela é real. Embora seja umas principais empresas do mercado esportivo desde os anos 90, a Nike tem uma trajetória um tanto azarada nas finais de Copa do Mundo, passando bem longe da dominação que a Adidas nutre desde os anos 70 por exemplo. Foi a fabricante alemã, por sinal, quem frustrou as duas grandes chances da rival de chegar à taça: em 1998, quando o Brasil foi derrotado pela França, e em 2010, quando a Espanha frustrou as chances da Holanda se consagrar campeã pela primeira vez.

A Adidas, vale acrescentar, é quem mais marca presença em finais de Copa do Mundo desde 1974, quando o jogo entre Alemanha Ocidental e Holanda se tornou a primeira decisão do torneio com camisas de uma mesma fabricante. Além de 74, 98 e 2010, os alemães foram responsáveis pelos uniformes dos dois finalistas (e, portanto, do campeão do mundo) em 1978, 1990 e 2014. A última marca fora dessa dualidade a “ganhar” a Copa foi a Puma em 2006, quando a “sua” Itália venceu a seleção francesa em Berlim.

Confira abaixo uma tabela com todos os semifinalistas do torneio e suas respectivas marcas desde 1974, feito pelo site Torcedores.

A bem da verdade, o grande trunfo da Nike para “conquistar” a Copa do Mundo este ano passou pela aquisição do patrocínio da seleção francesa, que historicamente tinha as camisas feitas pela Adidas desde sempre e passou o controle do serviço à marca estadunidense depois da edição de 2010, e a boa surpresa de ver Croácia e Inglaterra protagonizando uma das semifinais do torneio. Enquanto os croatas são patrocinados pela empresa desde 2000, pouco depois de fazer sua melhor campanha em 98 vestindo Lotto, os ingleses também passaram para o lado da fabricante em 2013 após anos de acordo com a Umbro.

Resta à Nike então saber se o pódio será inteiro seu este ano ou contará com uma participação no terceiro lugar da Adidas, que é responsável pelas camisas da seleção belga. Enquanto o jogo entre Inglaterra e Bélgica se enfrentam neste sábado às 11h (horário de Brasília), a grande final da Copa do Mundo acontece neste domingo à partir do meio-dia.

Compartilhe: