1_bvb4hGxJ3ekzT8WUwzwHTQ

Depois da saída de Danny Boyle, Cary Fukunaga é o novo diretor do próximo “007”

Norte-americano, cineasta é o primeiro de origem não-inglesa a assumir o leme da franquia

por Pedro Strazza

A Universal e os responsáveis pelos direitos da franquia penaram, mas pelo visto agora a produção do 25° capítulo da série “007” deve entrar em movimento conforme o diretor Cary Fukunaga foi contratado para assumir o comando da próxima aventura de James Bond. O anúncio é feito praticamente um mês depois da saída um tanto turbulenta de Danny Boyle da função, feita após “diferenças criativas” com os produtores Michael G. Wilson e Barbara Broccoli.

Além da entrada de Fukunaga, Wilson e Broccoli também divulgaram que a data de lançamento do filme foi adiada em um ano, deixando de sair em 25 de outubro do ano que vem para estrear em 14 de fevereiro de 2020, com a produção começando os trabalhos em março de 2019. A mudança é importante porque tira a franquia de seu terreno tradicional, já que as produções da franquia no geral são postas nos cinemas em torno de outubro.

“Nós estamos felizes de poder trabalhar com Cary. Sua versatilidade e inovação fazem dele uma escolha excelente para a próxima aventura de James Bond” afirmam os produtores encarregados pela franquia no comunicado.

Outras duas informações essenciais do anúncio são a confirmação de que “Bond 25” será o último episódio da série estrelado por Daniel Craig (um boato que já circundava o projeto a ponto de haver especulação sobre um novo intérprete para o espião) e que a entrada do norte-americano Fukunaga na direção faz dele o primeiro cineasta não-inglês na História a dirigir um “007”. Esta última só aumenta a surpresa em torno da notícia, já que o cineasta nunca foi mencionado em qualquer boato sobre quem assumiria o filme – ao contrário de nomes como Yann Demange, David Mackenzie, Bart Layton, Ridley Scott, Denis Villeneuve e outros tantos que foram procurados pelos produtores.

Ainda que o nome de Cary Fukunaga seja relativamente desconhecido no campo do cinema graças a alguns azares, na televisão sua reputação é bastante forte. Responsável pelo “Beasts of No Nation” que se tornou a primeira aposta da Netflix para o Oscar e tendo sido por um tempo o diretor do remake de “It – A Coisa” – que depois o substituiu pelo argentino Andy Muschietti – o cineasta se consolidou nas telinhas em 2014 e na HBO com a primeira temporada de “True Detective”, que fez bastante alarde em torno de todos os mistérios de sua trama policial.

Quem se deu bem com esse anúncio saindo hoje (20), vale dizer, foi a Netflix, que lança amanhã (21) o próximo projeto do diretor em seu catálogo, a minissérie “Maniac” estrelada por Jonah Hill e Emma Stone.

Compartilhe: