Eu Não Sou Racista

Mamilos #173

Ouvir Eu Não Sou Racista no Spotify
Ouvir Eu Não Sou Racista no Google Podcasts
Ouvir Eu Não Sou Racista no Apple Podcasts
Ouvir Eu Não Sou Racista no Pocket Casts
Capa - Eu Não Sou Racista

Jornalismo de peito aberto

Negros e as negras correspondem hoje a 50,7% da população (segundo autodeclarações que só tendem a crescer), mas estão em desvantagem social e sofrem de desproporção de representatividade nos âmbitos político, jurídico, econômico, acadêmico e muitos outros, aparecendo como protagonistas apenas nos piores índices nacionais. Os negros são 50% da população, mas apenas 15% dos juízes atuantes no país, 30% dos senadores e 20% dos deputados federais. Dos 28 ministros executivos nomeados, apenas uma é negra, além de não haver sequer um ministro negro no Supremo Tribunal Federal.

A chance de um negro ser analfabeto é cinco vezes maior do que em relação a um branco; apenas uma a cada quatro pessoas a obter um diploma do ensino superior é negra.  Os afro-brasileiros representam apenas 20% do PIB. O desemprego é 50% superior ao restante da sociedade, e quando ocupados, negros têm rendimentos equivalentes a 67,8% dos não negros. Na outra ponta, negros representam 75% da população carcerária brasileira e 70% das pessoas em situação de extrema pobreza. Infere-se que a cada 100 pessoas que sofrem homicídio no país, 75 delas são negras.

O que esses dados contam pra você? Pra ONU, eles mostram que o racismo no Brasil é “estrutural e institucionalizado” e “permeia todas as áreas da vida”, esse foi seu informe sobre a situação da discriminação racial no país publicado em 2014.

A parte simbólica que justifica e reproduz esses números que mostramos é mais sutil, e por isso mais difícil de atacar. Foi a discussão que assistimos com o comercial da Perdigão esta semana: um filme que mostra uma família bem sucedida com protagonismo de um homem branco que vai fazer caridade e doar um Chester para uma família pobre com protagonismo de uma mulher negra. O filme provocou desconforto em muita gente. Mas a maioria das pessoas fica desconfortável é com essa discussão.

O paradoxo desse terceiro momento das teorias do racismo tá no contexto atual, em que uma ampla condenação das ideologias e práticas racistas convive com a reprodução das desigualdades econômicas, políticas e culturais entre diferentes grupos racializados. E é por isso que hoje o Mamilos vai falar sobre Racismo Estrutural, encerrando o Mês da Consciência Negra, onde todos os programas contaram com participação apenas de especialistas negros.

Na mesa, contamos com a presença de Márcio Black, cientista político e coordenador da Fundação Tide Setubal, e Silvia Souza, advogada pós-graduada em direito e processo do trabalho e pós-graduanda na UFABC em Direitos Humanos.

Abre a mente e o coração e taca-lhe o play neste Mamilos!

Download | iTunes | Android | Feed | Spotify

========

CONHEÇA O #PODECONTAR, O SITE QUE AJUDA QUEM ESTÁ DISPOSTO A AJUDAR

#PodeContar é uma iniciativa da Medley para mudar o olhar e os estigmas sobre a depressão e incentivar que mais pessoas busquem a ajuda adequada.

Visite o site coletivopodecontar.com.br e acesse conteúdos relevantes, criado com ajuda de especialistas, para quem precisa de ajuda e para quem está disposto a ajudar.

Acesse!: https://bit.ly/2KWffqE

========

FALE CONOSCO

. Email: [email protected]
. Facebook: aqui
. Twitter: aqui

========

CONTRIBUA COM O MAMILOS

Quem apoia o Mamilos ajuda a manter o podcast no ar e ainda recebe toda semana um apanhado das notícias mais quentes do jeito que só o Mamilos sabe fazer. É só R$9,90 por mês! Corre ler, quem assina tá recomendando pra todo mundo.
https://www.catarse.me/mamilos

========

EQUIPE MAMILOS

Edição – Caio Corraini
Produção – Maíra Teixeira
Apoio a pauta – Jaqueline Costa e grande elenco
Transcrição dos programas – Lu Machado e Mamilândia

========

CAPA

A capa dessa semana foi feita por Zeca Bral (Colagem digital usando recortes diversos de obras de Elifas Andreato, “O Mestiço” (Cândido Portinari) e “Bueno Caos”).

========

FAROL ACESO

Marcio: Livro “Quando Me Descobri Negra”, filme “Falcão – Meninos do Tráfico” e série “Atlanta”;

Silvia: Livros “O que é Racismo Estrutural” e “Entre o Encardido, o Branco e o Branquíssimo” e canção “Carta à Mãe África”;

Cris: Filme “Branco Sai, Preto Fica” e livro “Quem tem Medo do Feminismo Negro?”;

Ju: Episódio “The Culture Inside” do podcast Invisibilia e filme “Benzinho”.