Template do Mamilos informando o tema e a numeração do programa

Mamilos 59 – Super Tuesday e Monólogo do Oscar

Jornalismo de peito aberto

4.mar.2016

Chegou a hora mais esperada da semana, o momento de matar as saudades de conversar com empatia e respeito sobre as polêmicas que pipocaram na timeline. Hoje vamos falar sobre Super Tuesday e o monólogo de abertura do Oscar. O Peu Araújo e o Joel estão conosco na conversa, vem você também!

——

Download | iTunes | Feed

========

TRANSCRIÇÃO DO PROGRAMA

========

FALE CONOSCO
. Email: [email protected]
. Facebook: aqui
. Twitter e Periscope: aqui
. Pinterest: aqui
. Instagram: aqui

========

Contribua com esse projeto pelo PATREON:
Patreon do Mamilos

========

SOM DO MAMILOS
Envie indicação de artistas brasileiros que deixam suas músicas disponíveis na internet para: [email protected]
Trilha sonora desta edição – Odilara

========

LINKS

Giro de Notícias
Como Bela Gil reverteu um debate sobre agrotóxicos com apenas um post

Conselho de Ética decide dar sequência a processo de cassação contra Cunha

Brasil é referência mundial em aleitamento materno

TT1 – Super Tuesday
Americanos votam nas primárias da ‘Super Terça’

Não ignore as eleições nos EUA. Donald Trump é um perigo também para o Brasil

O fenômeno Trump é a revolta dos brancos. Entender isso como mero racismo é um erro.

Como ficam as primárias nos EUA depois da Super Tuesday?

Super Tuesday: Donald Trump and Hillary Clinton win big

10 things we learned from Super Tuesday

Super Tuesday: What you need to know

TT2 – Monólogo do Oscar
O que a gente quer é oportunidade

Chris Rock ri de todos e pede “mais oportunidades” para atores negros

Chris Rock fez no Oscar o que todos esperavam e alguns temiam

Oscar e a falsa tolerância de Hollywood

O Oscar é racista? | OmeleTV

UM OSCAR EM QUE A MAIOR EMOÇÃO FOI LADY GAGA, QUE PERDEU

CHRIS ROCK WAS REALLY BAD LAST NIGHT, AND THE #OSCARSSOWHITE SKITS WERE EVEN WORSE

Chris Rock e o riso amarelo da platéia branco do Oscar

Inside the Oscars: How Chris Rock Tried to Save the Show

Discriminação a artistas negros no Oscar vem da demografia e do mercado, não da Academia

Oscars host Chris Rock overcomes nerves to tackle diversity row

Para o terror dos ativistas brancos Chris Rock me representa

Farol Aceso

Ju –
Podcast Código Aberto

Cris –
Plataforma Aos Fatos

Peu –
Clipe Lomba da Massa

Joel –
Artigo Maxima Culpa
Livro Ordem Mundial

Comente

  • gandralf

    Cara, tá tudo errado quando Bela Gil basicamente decide algo que deveria ter base científica. Não é para comemorar, é para chorar por mais uma demonstração de que o Brasil odeia ciência.

    • fagner

      No caso tinham dados do potencial teratogenico do agrotóxico. Tá bom que ela fala muita coisa incorreta, mas as vezes acerta

    • Michele Souza

      Ela tem muito mais seguidores do que o Pirula ou o Atila, lamentavelmente. Pelo menos ela usou a influencia dela para uma boa causa.

    • Sergio Augusto Do Nascimento T

      Também pensei isso.

    • Filipe Americo

      Pensei a mesma coisa. Até relógio quebrado as vezes acerta.

  • fagner

    No caso do Morgan Freeman, só pra colocar um contrapontos, existe um documentário chamado Prom Night in Missisipi (baile de formatura no Missisipi), ele é um documentário sobre racismo em que Morgan Freeman tem um discurso totalmente diferente desse vídeo que circula pela net.

  • igorzets

    Sobre o Chris Rock, um ponto do discurso me incomodou muito:

    “…we had real things to protest at the time, you know? We had real things to protest. You know, we’re too busy being raped and lynched to care about who won best cinematographer.”

    Ele aqui basicamente falou que o movimento Oscars so White não tem importância alguma. Ou ainda: deu a entender que os negros não têm mais do que reclamar.

    Como que ele fala que negros não têm do que reclamar e, na mesma noite, fala sobre os negros mortos por policiais? Muito estranho. Espero que comentem sobre isso, pq vocês meio que pularam essa parte do discurso.

    • chulungs

      Acho q o q ele quis dizer foi q os negros tem coisas mais importantes pra se preocupar do q ficar recebendo homenzinhos dourados.

      Ate pq o Oscar (a premiação) n tem muito o q fazer quanto a isso, ela so reflete o q a industria está fazendo. Se a industria n da papeis para negros como eles vão ser premiados?

      • Murillo Prestes

        Esse ponto é interessante porém questionável. Teve filme (muito) bom com elenco negro ano passado, vide Beasts of No Nation.

      • Murillo Prestes

        Esse ponto é interessante porém questionável. Teve filme (muito) bom com elenco negro ano passado, vide Beasts of No Nation.

    • Michele Souza

      Mas é justamente isso. O Chris Rock enfatizou justamente o fato de que o oscar é uma questão irrelevante perto dos conflitos raciais históricos, discriminação policial, falta de oportunidades em hollywood, entre tantos outros problemas realmente preocupantes.

      • igorzets

        Eu interpretei mais como “naquela época ninguém reclamava pq tinha coisas mais importantes acontecendo, e hoje não, por isso reclamam.”

        Mas é verdade, talvez tenha entendido errado.

        • Murillo Prestes

          Eu acho que ele foi infeliz no uso do “real things”. De fato tinham coisas mais importantes pra protestar, mas o uso desse termo faz realmente parecer que o Oscar So White é besteira. Ao mesmo tempo que ele é pró causa ele faz pouco de outros movimentos. Eu achei escroto mas previsível, não dá pra esperar muito de um cara faz piada com homossexuais, e afinal de contas, o Oscar que era o criticado, não ia dar palco pra alguém que desse corda pro boicote, e sim pra um negro que faz piadas com negros.

    • Patrícia

      A combinação “humor + comparação de problemas” não fez muito bem à mensagem. Vejamos:

      – É verdade que negros sendo mortos e pendurados em árvores (isso é horrível só de digitar) é muito pior do que a baixa presença de atores negros na indústria do cinema e sua ausência na maior premiação do mercado em particular? É. É claro que é.

      – Reconhecer isso torna a questão sobre negros e o cinema irrelevante? De maneira alguma. E aí está o problema, quem assistiu o discurso criou uma falsa correlação. Chris não estava fazendo uma comparação, ele estava pintando um quadro nas mentes da plateia. A mensagem real é: “negros são pessoas violentadas e excluídas das mais diversas formas”.

      A ironia vem quando se acrescenta: “ah, hoje não temos do que reclamar”.

      Então não, ele não diminuiu a causa.

  • Paulo Erbolato

    Parabéns por escolherem uma pessoa de tão alto gabarito como colaborador, Joel Pinheiro, fantástico, e como sempre, programa nota 10.

  • Michele Souza

    Só queria fazer uma errata sobre a piada do Chris Rock sobre a Rihanna. Quando ele usou a palavra “penties”, ele não se referiu a “calcinha” mas sim a uma “festa no apê” (penties seria um diminutivo para penthouse = apartamento de cobertura), Pensem bem, faz muito mais sentido ele não ter sido convidado para uma festa da Rihanna (já que ela é famosa por suas festas de tremer o teto) do que para a calcinha dela, vocês concordam?

  • Jacqueline Angelica

    Acho que precisamos separar ser injustiçado por não ganhar Oscar mas ser indicado todo ano e ser injustiçado por não ser indicado pq não é a mesma coisa. Não dá para comparar um ator ou atriz negra que já fez vários trabalhos bons mas nunca foi indicado com um ator ou atriz brancos com várias indicações e que nunca ganhou, pois a indicação é uma sinalização de que “vi o seu filme, “vc tá ótima mas vou votar em outra”. A não indicação é ” ignorar o seu trabalho”.
    Sobre o discurso, acho que todas as formas de protesto são válidas então se vc acha que deve ir a premiação, td bem e se o outro acha que não deve então não vá mas criticar os que escolheram boicotar da forma que ele fez e focando a maior parte da critica na Jada, eu não gostei. Assim como não gostei do “nem tudo é racismo ou sexismo” pois esta é a carta mais jogada junto com “ah agora não pode mais fazer piada”, “ai tudo é machismo”, “tudo é homofobia”, ” o mundo tá muito chato” … e continua para o infinito e além .

    Ps. Só para dizer que esses colaboradores desta new season do Mamilos tá complicado, cada vez mais complicado. E o problema não é empatia, são os argumentos que são usados cada vez mais difícil de escutar. Mas talvez seja o meu lado Braincast, já escuto eles dizendo “aqui não é o Mamilos não vamos pesar os 2 lados ou vamos disser quem tá certo”,ou deve ser mais provável, o lado Anticast radical mesmo.
    Mas como a Ju e a Cris me ganhou com um Hello e o Amor vcs sabem como é, eu continuo aqui ouvindo argumentos estranhos com gente esquisita. As coisas que faço por Amor <3<3<3<3<3
    Bjs!

    • Murillo Prestes

      Ah, eu achei esse cara menos insano que outras pessoas de direita que já participaram do programa. Pelo menos dá pra ouvir sem se contorcer.

    • igorzets

      Na próxima aguardando olavetes.

    • JPOliveira91

      Ouvindo os últimos episódios e não tive este problema com os argumentos, Será que o problema não é a maior participação de pessoas que descordem da sua opinião?

      Sobre o episódio, uma correção: Chris Rock foi indicado quase 3 meses antes que os indicados saíram, assim #OscarsSoWhite não teve influência na escolha dele como apresentador.

      Fontes: http://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2015/10/chris-rock-vai-apresentar-o-oscar-2016-sera-segunda-vez-do-ator.html

      http://g1.globo.com/pop-arte/oscar/2016/noticia/2016/01/oscar-2016-veja-lista-de-indicados.html

    • Mike Lopes

      Tb não curto muito essa participação da direita fashion, sobretudo pelos argumentos. Os liberais (ou algo que o valha) tem um caminhão de canais para expor suas opiniões, aí dizer que a participação deles no mamilos é para equilibrar a balança? Bem complicado, pq a recíproca não é verdadeira. Claro que a meninas podem simplesmente dizer que querem um lberal na mesa e ponto, é bem menos forçado e passaria de boas

      • Mike, a nossa responsabilidade é com o equilíbrio AQUI. A nossa responsabilidade é com a pluralidade AQUI. O nosso objetivo é aproximar pontos de vista diferente, então se tá te incomodando, estamos fazendo o nosso trabalho. Desculpa ter demorado 59 programas pra isso.

        • Mike Lopes

          Ju, o Mamilos não está pairando no tempo e no espaço, o que é feito aqui tem interações com a realidade e nessa realidade existe uma balança muito desequilibrada e quando você coloca pesos iguais nos dois lados da balança, indiretamente você ajuda a manter o desequilíbrio.

          Muitas pessoas, talvez, só tenham o mamilos para ouvir uma opinião fora da caixa do senso comum. Mas se aqui ela ainda ter que escutar a mesma coisa que escuta/lê na mídia, igreja, família… é um desperdício.

          No entanto, vocês tem todo o direito de definir a pauta, o rumo e as prioridades do podcast, é uma escolha legítima e como toda escolha, tem uma renúncia.

          Quanto a mim, não chega a ser um incômodo a presença da direita no programa. Pra mim é o melhor podcast e se opino aqui é pq sei que posso tentar ajudar sem ser ignorado ou mesmo escorraçado.

          Xêro e vida longa ao mamilos.

          • Mariana Z

            Tenho que concordar contigo Mike. Abrir ainda mais espaço para pessoas que já possuem tanta voz, e essa voz se faz escutada, é muito estranho, entendo o ponto, mas não vejo um propósito mais amplo além do “queremos balancear”, mas não existe esse balanceamento em qualquer outro espaço, eu procurei o Mamilos, justamente por que a opiniões delas muitas vezes são uma voz que eu não tinha força ou didática para ter, mesmo eu sendo bem mais radical no âmbito feminista.
            Seguimos ouvindo.

      • Luiza

        Mike, eu antes de ouvir o podcast era uma pessoa que não dava ouvidos a quem era mais conservador. Com o Mamilos, passei a ter mais tolerância, e mais do que isso, entender o outro lado e o porquê de algumas pessoas terem a opinião que têm, assim como eu, tenha a minha, mas não sou a dona da verdade. Antes eu achava isso. O bom de ouvir o outro lado, muitas vezes, é para também termos a certeza de que não mudaremos, mas poderemos ser, quem sabe, menos radicais.

        • Mike Lopes

          Luiza, a questão não é ser intolerante com opiniões diversas da sua, mas é dar ainda mais espaço a ideias que estão sendo marteladas o tempo todo, em todos os lugares.

          Claro que esse é um viés de quem quer alterar o rumo das coisas, o mamilos pode ter outro viés, pode querer empoderar as pessoas com um debate mais amplo, são só visões diferentes de como abordar o problema.

          Quanto a entender o outro lado, de fato se você prioriza um debate mais à esquerda você perde o contraponto e um entendimento mais amplo. Por outro lado você consegue dar referências e caminhos para muita gente que não consegue se localizar em um mundo intolerante, quase beirando ao fascismo.

          São escolhas e toda escolha tem suas renúncias.

          • Luiza

            Entendi. E você também percebe isso em podcasts de um modo geral ou na grande mídia? Sim, porque sabemos como funciona nossa imprensa…

    • Gente, escutar numa boa quem diz EXATAMENTE o que a gente pensa e nem um milímetro diferente não tem mérito algum e não constrói absolutamente nada. O espaço aqui não é pra isso.

      • Jacqueline Angelica

        Eu só quero esclarecer que não, eu não quero escutar apenas pessoas que pensam EXATAMENTE como eu e espero não ter deixado essa impressão, se deixei, não é isso. No meu “Ps” eu confessei, pq pensei que aqui na área de comentários seria o local para isso, que PRA MIM é muito difícil ouvir. Sim foi uma Confissão que PRA MIM é muito difícil.
        Estou AQUI a 59 programas e pretendo continuar AQUI. Talvez eu não volte a comentar, não sou de deixar comentários eu penso muito e normalmente prefiro não comentar pois não acho que escrevo bem e tenho medo de ser mal interpretada.
        Mas como já disse antes, escuto o Mamilos desde o 1º e pretendo continuar a escutar pq AMO MTO TUDO ISSO! <3 <3

        • Então abre o coração e a cabeça porque você vai ouvir bastante ainda do Joel, da Mi e do Rodrigo que não vai concordar. E provavelmente vai concordar com os outros 12 colaboradores. Acho que a balança ainda tá bem desequilibrada mas estamos pouco a pouco melhorando.

  • Murillo Prestes

    Engraçado que eu não vi em lugar nenhum da mídia falando de outras piadas escrotas que o Chris Rock fez durante o Oscar. Talvez a questão do racismo tenha as acobertado. Ele se referiu em tom de piada ao filme Carol como “filme girl on girl” e após o discurso do Sam Smith que deu destaque à causa LGBT, ele entra no palco com tom sarcástico dizendo tipo “opa, melhor não fazer piadas com isso”. Incrível o quão instantâneo é o backlash nesses casos. Sempre tem uma figura diminuindo pautas importantes e que precisam de visibilidade. O pior ainda é ver o público aplaudir o palhaço.

  • Sergio Augusto Do Nascimento T

    Muito bom. No Mamilos 56 eu fiz varias criticas ao fato de não haver um contra ponto a visão dos movimentos sociais, q na minha modesta opinião são extremamente agressivos, segregacionistas e principalmente autoritários. Mas nesse Mamilos vcs trouxeram esse contra ponto, achei muito legal, estão de parabéns, ficou muito bacana. Espero q continuem trazendo pessoas com esse tipo de pensamento para equilibrar a mesa, se não for Joel, q sejam outras pessoas com a mesma linha de pensamento. Parabéns meninas. Bjos

    • Obrigada Sergio. Incomodou muita gente. Mesmo sendo ponderado, gentil e argumentando super bem. Tá cumprindo seu papel e estamos muitíssimos felizes com a presença dele <3

  • Marcus Vinicius Lima Martins

    O que eu vi nas críticas dirigidas a apresentação do Chris Rock, foi muito branco querendo dar pitaco no que é bom ou não para o negro, sem ter ouvido este antes, como vocês me apontam no texto recomendado “Para o terror dos ativistas brancos, Chris Rock me representa”.
    Existe um documentário, com a participação do Milton Gonçalves que pode reforçar o que o Peu disse sobre má fé do jornalista em entrevistas, A Negação do Brasil – O Negro nas Telenovelas Brasileiras

    No vídeo vemos claramente defendendo a causa negra e criticando o racismo.
    A quem ache que tudo não é racismo ou preconceito e estou de acordoe por isso que gostei bastante da apresentação do Chris quando ele levanta este ponto.

  • Ananda Rossi Da Motta

    Esperei que o Mamilos fosse debater o assunto do Oscar com negros que tivessem diferentes pontos de vista sobre a participação do Chris Rock, já que costuma dar importância pro tão falado ~lugar de fala~.

    Confesso que fiquei um bocadinho decepcionada :(

    • Essa é a diferença entre TT e Teta que a gente basicamente explica em todos os programas. TT é programa de opinião, e opinião das pessoas que estão na mesa ;)

  • Mariana Neri

    Olha, esse video do Morgan Freeman é SOMENTE um trecho de uma entrevista. Vocês deveriam ver a entrevista completa pra entender o CONTEXTO.

    • A Cris comentou isso na hora, ne? Basta olhar a transcrição. Ela fez essa ressalva de que o vídeo tirava a fala de contexto ;)

  • Patrícia

    Esse argumento de “Se não tem negros no Oscar é porque eles não foram bons o bastante” pra mim é só uma maneira de tirar o foco do que é importante na discussão. O problema não são os prêmios, é a falta de diversidade. É claro que com mais papéis sendo distribuídos de maneira equitativa, aumentam as chances do reconhecimento chegar. Mas mais do que isso, o importante é saber que todo mundo poderá ter a oportunidade de ser, nas telas, herói, vilão, executivo, prisioneiro, cientista, independente de biotipo.

    A mensagem maior pra mim é: comunicação baseada em reprodução de esteriótipos e preconceitos tem efeitos tóxicos na sociedade e já deu o que tinha que dar.

  • Derick Andrade

    Oi meninas só um puxão de orelha com relação ao Chris Rock. Ele já tinha sido escolhido apresentador em outubro, antes de saírem as nomeações e gerar toda a polêmica do #oscarssowhite. Por isso ele fez a piada sobre pessoas dizendo pra ele boicotar e não ir, só que assim ele ficaria sem trabalho.

  • Adriano Carvalho

    nossa mano, adoro vocês, mas às vezes essa aumentada de voz da Ju pra continuar o raciocínio dá uma raiva. Como quando foi com o Chacra via skype.

  • Luiza

    Em relação ao que a Cris falou sobre as pessoas dizerem que as crianças são bonitas e não falarem o mesmo para sua filha, me fez lembrar de um livro didático na escola, se não me engano no de História da 5ª série, em que falava da hegemonia norte-americana e de como a indústria cinematográfica tentava impor o padrão “loiro de olhos azuis”. A partir dali, comecei a reparar na quantidade de protagonistas com essas características nos filmes hollywoodianos. E mais tarde, em nosso cotidiano, nos tais elogios a bebês e crianças que seguem esse padrão. “Nossa, que olhos lindos”! quando a criança tem olhos claros. Outra coisa que notei, quando alguém diz que um negro é bonito, é porque segue um certo padrão de beleza dos brancos, ou seja, ele tem a pele escura, mas os traços mais próximos ao do padrão que é aceito como bonito. Vocês também percebem isso?

    • Com certeza Luiza. Meu primo e sua esposa são loiros, a minha família toda tem olhos muito claros. A filhinha deles nasceu com olhos mel. Pois uma senhora da igreja achou que era bacana dizer: – Ah tadinha, mas ela ainda é bonitinha né? Vocês podem tentar de novo… (Claro, a gente até pensou em jogar fora, mas nos afeiçoamos à bichinha)
      :/

      • Luiza

        Rararara!!!! Boa, nos afeiçoamos à bichinha! Meu marido tem olhos claros e eu torci muito para que nosso filho tivesse olhos escuros. E ele tem os olhinhos bem cor de jabuticaba! Acho que são mais expressivos.

  • Patrícia

    Eu comento aqui dizendo que “a comunicação baseada em esteriótipos já deu o que tinha que dar” e hoje me aparece esse vídeo promocional da Netflix: https://www.facebook.com/netflixbrasil/videos/1084483774941748/

  • Thiago Ribeiro

    Depois de passado o buzz sobre o discurso, sobre o Oscar e sobre o boicote, algumas considerações surgem na cabeça… o #OscarSoWhite foi um movimento legítimo e que, ironicamente, apontou para um lado e acabou acertando outro: Como a academia está tão ultrapassada.

    Membros que são na maioria brancos com idade acima dos 60 anos. Não que isso seja um ponto contra, mas muitos não assistem a todos os filmes que concorrem a premiação.

    Mas como a academia vai ser “so white” se a presidente é negra e o host é negro? E o Iñarritu? Ele é branco?

    Porém, o que mais me preocupou foi o boicote do Will Smith e da Jada Pinkett, ficando uma dúvida: Eles protestaram contra a não indicação de outros atores negros ou foi pelo fato do filme estrelado pelo Will, “Concussion” (Um homem entre gigantes), não figurar entre os indicados?

    Um cara que já foi indicado mais de uma vez a melhor ator e está desde os anos 90 consagrado como um artista talentoso e rentável para a indústria. Ele teve oportunidade, a esposa teve oportunidade. Os filhos deles tiveram oportunidade.

    Filmes, bons ou ruins, são ou esquecidos ou exaltados pela academia. “As sufragistas”, um filme que tinha tudo para chamar a atenção, independente se é bom ou não, ficou de fora.

    Pense em quantos atores e atrizes nunca foram sequer indicados? Gwyneth Paltrow ganhou da Fernanda Montenegro. Alguém lembra de Jean Dujardin?

    Sem querer me alongar muito, espero que o Mamilos continue nos alimentando de conhecimento, inquietando, entretendo e nos ensinando a discutir com muita dedicação e empatia!

  • mstrey

    Olá,
    Venho apenas para manifestar meu descontentamento com um comentário que uma das integrantes do programa fez, desculpe, mas escuto a pouco tempo e ainda não sei exatamente de quem é cada voz. :(

    Enfim, o comentário foi a respeito do caso de racismo sofrido pelo goleiro aranha em porto alegre e foi “obrigada torcida do grêmio… pra rachar minha cara”. Enfim, eu como porto alegrense não torcedor de futebol (nunca fui ver um jogo em estádio e não costumo acompanhar nem pela televisão) creio que posso ter visto um pouco mais sobre o caso de uma forma mais imparcial.

    1) O goleiro aranha tem várias situações onde assume uma postura de confronto neste assunto que no meu ponto de vista fica muito próximo da postura de um vitimista, que é incapaz de assumir suas falhas e prefere colocar a culpa no racismo. Não estou dizendo que ele faz isso sempre, mas o comportamento dele me parece bem próximo desse.

    2) O caso do jogo em porto alegre me pareceu mais como um boi de piranha que a mídia resolveu abraçar porque é mais fácil vender a imagem de racistas nos abitantes do sul do país, região onde temos muitos poucos negros em relação ao resto do país.

    3) Isso fica muito claro quando analisamos as imagens mais de longe, sim mais de longe. A mídia focou a imagem em uma menina da “classe média opressora” e se aproveitou para vender a imagem de racista pois seria muito mais dificil defender este discurso ao ver que existiam muitos negros, pardos e outras variações de cor de pele, na torcida praticando exatamente as mesmas ofensas.
    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-que-faziam-dois-negros-no-meio-dos-torcedores-racistas-do-gremio/
    http://s2.glbimg.com/peCyoo2klbJzNg80gaTuFSw60F8=/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2014/09/02/eder.png

    4) Não agradeça a torcida do grêmio por rachar sua cara, agradeça ao futebol que sempre teve episódios destes espalhados pelo mundo. A coisa é tão estupida neste esporte (deu pra entender que não gosto mesmo de futebol né) que até a própria torcida do clube do goleiro Aranha praticou as mesmas ofensas contra ele.
    http://gaucha.clicrbs.com.br/rs/noticia-aberta/torcedores-do-santos-ofendem-aranha-com-insultos-racistas-128656.html

    Em uma situação de sangue a flor da pele, meio que é da natureza humana atacar seu oponente com injurias, e a nossa sociedade tem uma história muito recente de racismo para acreditarmos que isso não será usado como arma. Multiplique isso quando ocorre no meio da torcida de um esporte que envolve muita paixão e o efeito manada amplifica qualquer idiotice.

    Ainda existe a “coisificação” de termos que perderam seu sentido com o tempo. Quando um ateu se depara com uma situação complicada e diz “pelo amor de Deus…” ele claramente não está se referindo a uma entidade superior que a todos governa, apenas está repetindo uma interjeição que escutou por toda a sua vida. Quando numa discussão um dos interlocutores dispara “filha da puta” ou “mas que porra é essa?” ele claramente não está inferindo que a genitora de seu oponente ganha dinheiro em troca de favores sexuais e nem que alguém ejaculou em sua frente.

    Concluindo, não estou defendendo as manifestações racistas que ocorreram. Estou mais puxando algo entre o que Morgan Freeman falou e algumas passagens do que Chris Rock falou. A culpa não de um indivíduo nem uma torcida. É temeroso propagar a ideia de que um clube de futebol é o culpado pelas mazelas do mundo. Existe MUITO racismo sim, mas existe MUITO vitimismo também. Também não quero defender que não devemos falar sobre o assunto ou que todas as ofensas se justificam, apenas que o comportamento humano me parece complexo demais para tirarmos conclusões simples demais.