Facebook permitiu que Spotify e Netflix acessassem mensagens de usuários

O ano mais conturbado da história da empresa simplesmente não parece ter fim

por Matheus Fiore

[Atualizado com novas informações sobre o caso]

Como reportou o Business Insider, o Facebook está cedendo acesso de algumas empresas às mensagens privadas dos usuários. Após um polêmico relatório do New York Times sobre segurança e privacidade digital, a empresa de Mark Zuckerberg postou um texto em seu blog admitindo ter compartilhado o acesso.

Na publicação, o Facebook diz que para que as empresas tivessem acesso às mensagens, o usuário precisava logar pelo aplicativo externo e aceitar os termos de uso. Procurados pelo New York Times, a Netflix e o Spotify, duas das principais empresas envolvidas no caso, afirmaram não ter conhecimento de que tinham livre acesso às mensagens dos usuários. Já o Facebook, em sua defesa, afirmou que não encontrou nenhuma evidência de abuso.

Outras empresas que teve acesso às mensagens foi o Royal Bank of Canada, que juntamente à Netflix e ao Spotify, poderia até mesmo escrever mensagens pela conta do usuário. Essa falha de segurança atingiu pelo menos 70 milhões de usuários.

A polêmica vem em um péssimo momento para a empresa. O ano de 2018 foi provavelmente o pior da História do Facebook, que se envolveu em inúmeros escândalos ao longo dos últimos 12 meses e viu seu CEO, Mark Zuckerberg, ter que se defender oficialmente diante da corte americana

O escândalo da Cambridge Analytica foi o grande marco de 2018, mas houve problemas também com venda de dados de usuários para fabricantes de smartphones e ataques que vazaram dados de mais de 50 milhões de pessoas. O resultado é uma redução no número de usuários da maior rede social do planeta. Nos Estados Unidos, por exemplo, o uso de internet por parte de jovens só aumenta, mas o uso do Facebook por parte desse mesmo grupo só diminui

Será interessante, portanto, observar três fatores em 2019: como o Facebook planeja se reabilitar diante de sua maior crise, como as outras redes sociais se comportarão para, talvez, assumir o protagonismo na internet e como os usuários se comportarão diante destas possíveis mudanças.

[ATUALIZAÇÃO: 20/12/2018, 16:05] A Netflix se posicionou oficialmente sobre o caso, confira a nota abaixo:

“Ao longo dos anos, tentamos várias maneiras de tornar a Netflix mais social. Um exemplo disso foi o recurso que lançamos em 2014 que permitiu que os membros recomendassem programas de TV e filmes para seus amigos do Facebook via Messenger ou via Netflix. O recurso nunca foi muito popular, então o desligamos em 2015. Em nenhum momento acessamos as mensagens particulares das pessoas no Facebook ou pedimos para conseguir fazê-lo.”

O próprio Facebook também se manifestou oficialmente:

“Os parceiros tiveram acesso a mensagens, mas as pessoas precisavam fazer login no Facebook para usar o recurso de mensagens de um parceiro. Vamos tomar o Spotify como exemplo. Depois de fazer login na sua conta do Facebook no aplicativo do Spotify para desktop, você poderia enviar e receber mensagens sem sair do aplicativo. Nossa API forneceu aos parceiros acesso às mensagens para ativar esse tipo de recurso.”

Para ler a declaração completa, clique aqui.[FIM DA ATUALIZAÇÃO]

Compartilhe: