Número de assinaturas de serviços de streaming já é maior que as de TV a cabo no mundo

Meio digital como um todo foi responsável por novos recordes no mercado audiovisual, ainda que a TV a cabo seja ainda bastante lucrativa

por Pedro Strazza

Em um relatório divulgado hoje ao público, a Motion Picture Association of America (MPAA) confirmou que pela primeira vez na História o número de assinantes de serviços de streaming no mundo superou o de TV a cabo. Enquanto a quantidade de pessoas com pacotes da segunda opção sofreu uma queda de 2% e encontra-se na marca de 556 milhões, o mercado de streaming aumentou 27% e chegou a impressionantes 613,3 milhões de usuários ao redor do globo.

A inversão acontece num momento em que o cenário de entretenimento bateu novos recordes de faturamento. Em 2018, o mercado formado pelo circuito comercial e os produtos de home entertainment chegou a um retorno de 96,8 bilhões de dólares, um valor 9% maior que o alcançado em 2017.

O crescimento agressivo do streaming influenciou bastante, mas quem fundamentou este sucesso todo foi a alta geral de todo o mercado digital. Responsável por 55,7 bilhões do montante total, o setor expandiu-se 34% ao redor do globo nos últimos doze meses, ao passo que as vendas físicas (de DVDs e Blu-Rays) sofreram nova queda de 14%. Estes números deixam evidente que a forma preferida do público de consumir filmes em casa hoje é pelo meio digital – uma tendência que já havia sido sentida pelas próprias fabricantes de aparelhos Blu-Ray, vale apontar.

Na questão específica streaming versus TV a cabo, a parte mais interessante é que apesar do primeiro já ter um público maior que o segundo ele ainda fica pra trás na questão financeira. Mesmo com perdas progressivas de assinantes, os pacotes de canais a cabo ainda viram suas taxas de retorno aumentarem em 2018, chegando a 118 bilhões de dólares. Além disso, pelo menos nos EUA o público ainda prefere a televisão ao streaming: a programação a cabo é vista por 80% dos norte-americanos, superando em 10% o público do streaming.

Outra informação importante um pouco óbvia, mas confirmada pelo relatório da MPAA é que hoje o número de produções originais, roteirizadas e serializadas é a maior já vista. Graças ao advento do streaming e à multiplicação massiva de canais de entretenimento de toda a origem, a quantidade de programação do tipo cresceu impressionantes 28% desde 2014 e acumula hoje um total de 496 séries – e este número sobe pra 1620 se considerar programação diurna, infantil e sem roteirização. É muita coisa pra maratonar, e olha que os streamings da Apple e da Disney ainda não debutaram!

Por fim, uma notícia fantástica do documento é que o mercado global de cinema 3D está em franca queda. Entre 2017 e 2018, os resultados nas bilheterias do setor sofreram uma queda de 20%, acumulando meros 6,7 bilhões de dólares no último período. A resistência vem da Ásia, com a China mantendo as menores quedas regionais mesmo depois de um 2017 com a maior grana acumulada por uma produção nacional do tipo.

Você pode conferir o power point com a íntegra do relatório aqui, com todas as informações do atual panorama do mercado audiovisual.

Compartilhe: