Burger King alfineta Bolsonaro e Banco do Brasil com chamada de elenco de novo comercial

Empresa diz estar a procura de atores que participaram de comerciais de banco recentemente censurados

por Matheus Fiore

No fim de abril, um comercial do Banco do Brasil foi censurado pelo presidente Jair Bolsonaro por conter “diversidade demais”. Bolsonaro pediu diretamente ao presidente do banco que o vídeo não fosse circulado e, posteriormente, o diretor de comunicação e marketing do banco acabou demitido.

O caso foi muito discutido na internet e não parou por aí. Poucos dias depois, o presidente também estabeleceu uma limitação para futuras campanhas estatais, proibindo qualquer uso de termos pertencentes ao vocabulários LGBTQ+, como “lacrar”.

O assunto já não estava tão em alta, mas mesmo assim o Burger King resolveu se manifestar por meio de suas redes sociais e alfinetou o presidente e a situação do banco. A rede de lanchonetes anunciou a procura por um elenco para a gravação de um comercial, e os pré-requisitos são: ter participado de um comercial do Banco do Brasil que tenha sido vetado e censurado nas últimas semanas.

A empresa ainda posiciona-se a favor da diversidade e reitera: os interessados podem ser homens, mulheres, negros, brancos, gays, héteros, trans, jovens e idosos. “No Burger King, todo mundo é bem-vindo. Sempre”, afirma a empresa, que fecha deixando seu e-mail para o contato comercial.

O posicionamento exigiu apenas a postagem de três stories e acenos similares em outras redes sociais, mas já está correndo a internet e revivendo a discussão sobre a censura do presidente Jair Bolsonaro.

Ainda não há informações sobre o conteúdo do futuro comercial da empresa, nem quando será lançado.

Compartilhe: