2,2 bilhões de pessoas usam diariamente o Facebook, Instagram, WhatsApp ou Messenger

Índia, Indonésia e Filipinas lideram onda de crescimento da rede de aplicativos da companhia, que afirma estar expandindo suas comunidades em regiões de todo o globo

por Pedro Strazza

Embora a média de tempo gasto por usuário em sua plataforma esteja caindo e a maioria do público nos Estados Unidos não esteja nem um pouco ciente da existência de seu ecossistema de redes sociais (sem contar os inúmeros problemas simultâneos enfrentados no noticiário), não dá pra dizer que o Facebook enquanto negócio esteja indo de mal a pior. Os resultados apresentados no último relatório trimestral da companhia, aliás, apontam muito o contrário, com a “família de aplicativos” da empresa registrando juntas uma média diária de 2,2 bilhões de usuários ativos.

A “família” no caso envolve o Facebook, o Instagram, o WhatsApp e o Messenger, enquanto o número acima representa um crescimento de acessos deste terceiro trimestre de 2019 para o segundo, que tinha mostrado que a média diária estava em 2,1 bilhões de usuários ativos. Em razão mensal, os dados catapultam para 2,8 bilhões de ativos, outra parte do relatório que indica um aumento de 1 bilhão no total nos últimos três meses.

Em reunião com os investidores, o CFO da companhia David Wehner afirmou que os países que andam liderando o crescimento do Facebook são a Índia, a Indonésia e as Filipinas, mas ele também comentou que eles “estão contentes com as tendências de crescimento em todas as regiões, incluindo os Estados Unidos e o Canadá”.

Em termos financeiros as coisas também estão fluindo. O relatório do Facebook mostra que a empresa registrou US$ 17,652 bilhões de dólares em arrecadação neste terceiro trimestre, o que representa um crescimento de 29% em relação ao mesmo período em 2018. A publicidade para o ambiente dos celulares é a grande responsável pelo sucesso, sendo responsável por 94% do montante ganho pela empresa no campo.

Wehner também esclareceu no evento que a queda no preço de anúncios nas plataformas da empresa se deve à introdução do recurso dos Stories nos aplicativos, cuja popularidade rendeu um aumento no número de impressões por usuário nas redes.

Compartilhe: