Saiba onde assistir 10 dos 15 curtas indicados ao Oscar 2020

Edição deste ano marca recorde de disponibilidade online de produções do formato indicadas à premiação e inclui projetos da Coréia do Sul, França e Suécia

por Pedro Strazza

Chegou a época de mais uma temporada do Oscar e, como acontece todo ano, tem muita gente correndo pra lá e pra cá atrás de todos as 53 produções lembradas pelos votantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. Mas enquanto os longa-metragens ganham todo o destaque graças à sua alta disponibilidade, seja nas telonas ou nas telinhas, os quinze curtas nomeados nas três categorias da premiação dedicadas ao formato novamente são o ponto de crise a qualquer cinéfilo ou completista de premiação – afinal, onde achar filmes que até ontem podiam ser completos desconhecidos ao grande público?

A boa notícia este ano é que a esmagadora maioria dos projetos lembrados em Melhor Curta-Metragem, Animação em Curta-Metragem e Documentário em Curta-Metragem estão na verdade bem acessíveis a qualquer um com uma conexão à internet. Se em outros anos era milagre haver mais que cinco produções na rede, este ano são nada menos que dez dos quinze curtas nomeados que já estão a um clique de distância em plataformas como o YouTube, o Vimeo e até Netflix.

As únicas exceções são a animação “Dcera”, os documentários “Learning to Skateboard (If You’re a Girl)” e “St. Louis Superman” e as ficções “A Sister” e “Saria” – que muito provavelmente devem pipocar por aí até a cerimônia do Oscar 2020 no dia 9 de fevereiro.

Confira abaixo os indicados disponíveis online.

Melhor Curta-Metragem

“Brotherhood”

Dirigido pela canadense de origem tunisiana Meryam Joobeur, o curta de 25 minutos lançado no Festival de Toronto de 2018 e com passagem por Sundance em 2019 acompanha a história de um pai (Mohamed Grayaâ) que passa por momentos de tensão quando o filho volta para a casa com uma nova esposa.

“Nefta Football Club”

Produção francesa passada na fronteira entre a Argélia e a Tunísia, o curta de Yves Piat soa como um “Breaking Bad” nas relações que tece entre situações de acaso e o tráfego de drogas, ainda que bem mais suave em relação à jornada de Walter White. Com pouco menos de 17 minutos, “Nefta Football Club” acompanha a história de dois irmãos menores de idade que, certo dia, descobrem uma mula com um headphone e um carregamento misterioso na volta pra casa do jogo de futebol com os amigos.

“The Neighbors’ Window”

Pela quarta vez indicado a um Oscar (a última vez havia sido no ano passado, com o curta documental e experimental “A Night in the Garden”), Marshall Curry volta à premiação em 2020 com uma história que poderia ter saído de uma série de antologia como “Modern Love” e “Easy”. Com a veterana atriz Juliana Canfield na liderança do elenco, “The Neighbors’ Window” trata da rotina de vida de um casal que passa a ser afetada quando eles descobrem certa noite um outro casal mais jovem transando no apartamento perante sua janela.

Melhor Animação em Curta-Metragem

“Hair Love”

Originalmente produzido pela Sony Pictures Animation para uma campanha publicitária da Dove, “Hair Love” aproveita a onda de peças dedicadas a apoiar a diversidade na beleza do ano passado para retratar a história de uma jovem que busca o penteado de cabelo perfeito com a ajuda do pai. Com Issae Rae no elenco de dublagem e Peter Ramsey (um dos diretores de “Homem-Aranha no Aranhaverso”) na produção, o projeto ainda conta entre seus diretores com Matthew A. Cherry, um dos responsáveis pela produção de “Infiltrado na Klan”.

“Kitbull”

Terceiro curta produzido pela divisão online da Pixar, a Pixar Sparkshorts, o filme de Rosana Sullivan faz bastante jus à proposta do estúdio secundário da companhia da Disney, que busca achar novas e diferentes vozes criativas em seu extenso hall de animadores. Com nove minutos de duração, a produção traz à tona a cativante história de amizade entre um gatinho (o “kit”) e um cachorro (o “bull”), que buscam se ajudar numa situação de apuro num lixão.

“Memorable”

Lançado no ano passado durante o Festival de Cinema de Animação de Annecy, o novo filme do francês Bruno Collet conta a história de um velho pintor francês que junto da esposa precisa lutar contra a demência cada vez mais presente em sua rotina. Você pode assistir “Mémorable” na íntegra (com áudio em francês e sem opção de legendas) aqui no Vimeo.

“Sister”

Além de integrar o departamento de arte do também indicado “Link Perdido”, a animadora chinesa Siqi Song chegou ao Oscar este ano com o projeto autoral “Sister”, que faz uma defesa da abolição da lei do filho único no país a partir do relato das memórias de sua família na infância – e mais exatamente sua irmã mais jovem.

Melhor Documentário em Curta-Metragem

“In the Absence”

Dirigido pelo sul-coreano Seung-jun Yi e lançado primeiro no Festival de Nova York de 2018, “In the Absence” documenta o naufrágio de uma balsa na Coréia do Sul que terminou por matar centenas de vidas – incluindo crianças – por conta da falta de agilidade da primeira resposta do socorro ao acidente. Com quase 30 minutos de duração, o documentário sem dúvida conta com imagens fortes de abandono.

“Life Overtakes Me”

Mais um ano, mais um documentário de saúde produzido pela Netflix que chega ao Oscar da categoria em curta-metragem. O projeto da vez é uma co-produção entre Suécia e Estados Unidos de 39 minutos comandada pela dupla John Haptas e Kristine Samuelson, que documenta a história de milhares de crianças refugiadas cujo trauma as leva a adquirir uma síndrome capaz de induzi-las ao coma. Você pode conferir o documentário na íntegra aqui.

“Walk, Run, Cha-Cha”

Produzido pelo The New York Times, o curta de 20 minutos produzido pela documentarista Laura Nix traça a trajetória de um casal vietnamita de sobreviventes da Guerra do Vietnã que passam a trabalhar seus antigos traumas da juventude e oriundas do conflito nos dias de hoje graças às pistas de dança, onde se tornam celebrados e experientes dançarinos no sudeste da Califórnia.

Compartilhe: