Governo japonês e COI confirmam que Olimpíadas de Tóquio serão adiadas para 2021

É a primeira vez na história que os Jogos são adiados devido a circunstâncias externas

por Pedro Strazza

É real: as Olimpíadas estão adiadas pela primeira vez em sua história. O primeiro ministro do Japão Shinzo Abe anunciou a decisão na manhã desta terça-feira (24) à imprensa, confirmando que o Comitê Olímpico Internacional e o governo do país remarcaram a realização dos Jogos para meados de julho de 2021.

O anúncio acontece horas depois do membro veterano do COI Dick Pound declarar ao USA Today que o evento seria adiado, citando que as medidas serão reveladas aos poucos para lidar “com todas as ramificações desta decisão, que é imensa”, e alguns dias após Austrália e Canadá anunciarem a retirada de suas delegações por temor à pandemia.

Embora a medida vá afetar todo o calendário de esportes, ela traz alívio a atletas, organizadores e oficiais de saúde sobre a segurança do público e envolvidos no evento, temerosos dos riscos envolvidos em realizar um acontecimento de tamanha escala em meio à pandemia do coronavírus.

De acordo com Abe, o pedido para a realização das Olimpíadas em 2021 veio do próprio governo, mas foi recebida com total apoio pelo presidente do COI Thomas Bach, dado que só este cenário permitiria que os atletas treinassem com segurança e o investimento do país nos Jogos – que é da casa dos 10 bilhões de dólares – não fosse descartado.

Embora o evento se junta a outros campeonatos esportivos afetados pelo coronavírus, os efeitos da pandemia no mundo são de fato responsáveis pela primeira ocasião em que as Olimpíadas são remarcadas. Os Jogos já foram cancelados em outras ocasiões sob circunstâncias de guerra, como a Primeira (a edição de 1916) e a Segunda Guerra Mundial (1940 e os jogos de inverno de 1944), e sofreu boicotes prejudiciais nos anos de 1976, 1980 e 1984, mas até então nunca teve sua programação pré-estabelecida revogada por conta de circunstâncias externas.

As consequências devem ser visíveis nos próximos meses. Apesar da manutenção dos Jogos na época do verão no hemisfério norte permita que certas modalidades permaneçam na programação, o adiamento para 2021 coloca o evento na mesma época dos mundiais de natação e atletismo, que acontecem tradicionalmente um ano após. Mover para 2022 também dificilmente é uma opção, dado que além da Copa do Mundo do Catar há também os próprios Jogos Olímpicos de Inverno, que acontecerão em Pequim – e três eventos desta magnitude coloca em risco muito grande os altos investimentos de cada acontecimento.

Além de Tóquio e Pequim, o COI também já estabeleceu que as Olimpíadas de 2024 e 2028 acontecerão respectivamente em Paris e Los Angeles.

Compartilhe: