gettyimages-168938639

Resolveram recriar todos os episódios de “The Office” em um grupo de Slack

Coletivo vai reencenar todas as histórias do programa no ambiente virtual respeitando os horários da Dunder Mifflin (ou seja, de segunda a sexta, das 9h às 17h)

por Pedro Strazza

Tendo completado quinze anos de existência recentemente, a versão estadunidense de “The Office” nunca esteve tão popular como agora. Além de ser um dos conteúdos mais acessados (e desejados) nos serviços de streaming, a série criada por Greg Daniels nos últimos tempos ganhou de tudo, de podcast a coleção de Funko Pop!, passando por alguns experimentos divertidos de deepfake. O próximo passo agora pelo visto são incursões transmídia, começando por um meio completamente inusitado: o Slack.

Pois essa é a ideia do The Office (Slack), um projeto tocado pelo coletivo MSCHF que é basicamente o que o nome diz: recriar todas as nove temporadas do programa no ambiente virtual do Slack. O funcionamento chega a ser genial apesar de um pouco complexo: os usuários interessados podem acessar o Slack do projeto, que divide os ambientes dos escritórios da Dunder Mifflin em hubs e usa contas fakes dos personagens para recriar as cenas – o desafio organizacional é impedir que qualquer troll atrapalhe o andamento da encenação na plataforma, claro, algo que o coletivo solucionar com um grupo de moderadores.

O resultado é mais ou menos o que o GIF abaixo mostra, tomando como exemplo a situação absurda em que Michael Scott queima o pé com a grelha de George Foreman: a partir de mensagens, gifs e outros recursos do Slack, o projeto adapta para o ambiente virtual todas as tramas e piadas da série, buscando manter intacto a genialidade do humor do programa.

Além da diversão, o Slack de “The Office” mata uma dúvida interessante do mundo contemporâneo: afinal, como funcionaria a série no cenário de hoje, dado que quase uma década depois do fim do programa o mundo do trabalho alterou-se drasticamente? É uma experiência que o próprio coletivo reconhece, com o gerente de estratégia Daniel Greenberg definindo o projeto ao The Verge como “uma experiência ao vivo conduzida por pessoas reais”.

Os episódios são reencenados em base diária na Dunder Mifflin digital, seguindo o padrão de horário da empresa de papel e do andamento das histórias: segunda a sexta, das nove às cinco. Há material de sobra para pelo menos quase um ano de brincadeira, ou seja – e ainda dá pra pegar no comecinho, dado que no momento da publicação desta nota o MSCHF estava trabalhando na materialização online do episódio do basquete.

Você pode se inscrever no Slack de “The Office” aqui.

Compartilhe: