Prestes a perder “Friends” e “The Office”, Ted Sarandos diz que Netflix é responsável por manter séries populares

Chefe de conteúdo da plataforma acredita que seriados, por estarem presentes no serviço, voltaram a se tornar fenômenos culturais por estarem ativas no cotidiano do público

por Pedro Strazza

Com o mercado de streamings pegando fogo a partir do próximo mês, quando tanto Disney quanto Apple lançam seus respectivos serviços, a Netflix sem dúvida já se prepara para o inevitável impacto da enxurrada de plataformas aparecendo para competir por espaço. Mas enquanto a companhia de Reed Hastings realizou feitos impressionantes nos últimos meses como garantir os direitos globais de “Seinfeld”, há duas produções cuja saída deve impactar bem nos números do serviço: “Friends” e “The Office”.

Enquanto a série dos seis amigos deve deixar de ser exibida mundialmente pela Netflix no fim de dezembro afim de se tornar exclusiva do vindouro HBO Max, o seriado sobre os bastidores da Dunder Mifflin em breve sai do catálogo do streaming nos Estados Unidos com a iminente chegada do Peacock, a plataforma da Comcast. Para muitos analistas, a perda destes conteúdos deve ser dolorosa para a atual gigante do mercado, em especial porque ambas trazem muita audiência para a Netflix – só em 2018 elas foram as produções mais assistidas do site, por exemplo.

Para Ted Sarandos, porém, a situação é a oposta, pois aos seus olhos quem mais sai perdendo no fim desta parceria são as séries. “Uma das razões pela qual ‘Friends’ e ‘The Office’ são tão populares hoje é porque elas estão na Netflix. Você imagina o que acontece quando sua criança chega da escola: ‘Eu vi este novo programa chamado ‘Friends”.” disse o atual chefe de conteúdo da plataforma nesta quarta (23) em evento da Vanity Fair realizado em Los Angeles, onde ainda comentou que “parte do sucesso duradouro destes programas é que eles estiveram disponíveis na Netflix de uma forma que as pessoas podem assisti-los” e torná-los inerentes a seus cotidianos.

“Parte disso é também que, quando os assinantes sentam em seus sofás, eles apertam o play na Netflix e lá está. ‘Friends’ e ‘The Office’ acharam eles, também, na Netflix.” continuou Sarandos, que ainda afirmou que ambas as produções foram por anos sindicalizadas e que o ressurgimento de seus respectivos fenômenos aconteceu por conta do serviço de streaming. O CCO ainda declarou que, por mais que fosse de seu desejo manter ambos os programas no catálogo, ele acredita que a Netflix seja acima de tudo “sobre mudanças e manter as coisas frescas”, citando a entrada de “Seinfeld” como uma boa renovação.

Sarandos ainda comentou no evento que contrário às expectativas de alguns a companhia não possui planos de se colocar a venda no mercado e que a decisão de passar a divulgar alguns dos índices de audiência da plataforma foi tomada após a percepção de que o público estava sendo negado da legitimação de verdadeiros fenômenos culturais promovidos pelo streaming. “Quanto mais tempo nós nos mantermos fora desta briga, melhor” chegou a declarar o executivo.

Compartilhe: