Com exceção de 4 unidades, Microsoft vai encerrar operações de todas as lojas físicas

Área de varejo oficial da empresa vai concentrar atenções em estabelecimentos em Nova York, Londres, Sydney e no campus Redmond

por Pedro Strazza

A Microsoft confirmou nesta sexta (26) que vai encerrar as operações de quase a totalidade de suas lojas físicas. A decisão marca a saída da companhia do varejo, embora quatro unidades localizadas em Nova York (na Quinta Avenida), Londres (no Oxford Circus), Sydney (na região de Westfield) e no campus Redmond estão previstas para continuar funcionando.

É um movimento que também explica em parte o porquê da companhia estar tão silenciosa em relação à reabertura das lojas nos últimos tempos, conforme concorrentes como a própria Apple buscaram retomar atividades com o máximo de cuidado – com alguns resultados desastrosos. Na semana passada, a Microsoft chegou a justificar a falta de ação para reabrir unidades ao The Verge afirmando que a abordagem “era medida e cautelosa, guiada pela monitoração de dados globais, a orientação de autoridades de saúde e especialistas de segurança e o acompanhamento de restrições governamentais locais”.

Essa afirmação não deixa de ser verdade, até porque a empresa desde o início da pandemia mudou suas operações para o home office e chegou a confirmar a realização exclusiva de eventos online até o meio de 2021. Além disso, a esmagadora maioria dos shoppings nos EUA continuam fechados, o que é um impedimento e tanto para o varejo da companhia no país dado que a maioria de suas unidades no território estão nestes centros de comércio.

Por outro lado, a decisão não deixa de ser um fim triste para o canal construído pela Microsoft, que desde 2009 vem cultivando lojas em um esquema similar ao da Apple em todo o globo, com direito a áreas dedicadas a hardwares do Xbox e programas do Windows, bem como cuidado com PCs de terceiros. No caso da América Latina, a empresa desde 2015 vinha expandindo operações de varejo a partir de uma unidade no shopping Eldorado, em São Paulo, e chegou a contar com 47 unidades em 13 estados brasileiros.

Ainda não se sabe quando ou como as lojas remanescentes serão reativadas, bem como se sua operação sofrerá alterações por parte de qualquer mudança no plano de negócios da empresa na área.

Compartilhe: