106340770-1579205542781gettyimages-1194052218

Streaming da Universal, Peacock tem app baixado 1,5 milhão de vezes na semana do lançamento

Número é superior aos acumulados pelo Quibi na estreia, mas serviço está longe do sucesso do Disney+

por Pedro Strazza

A princípio o último grande nome a entrar no concorrido mercado de streaming este ano, o Peacock da NBCUniversal foi lançado nos EUA na semana passada sem grande alarde – especialmente quando comparado aos debutes de rivais como o Disney+ e o HBO Max – mas pelo visto tem se virado bem. De acordo com dados colhidos pela empresa de pesquisa Sensor Tower, a plataforma obteve nos primeiros seis dias de vida um total de 1,5 milhão de downloads do aplicativo para celular, seja no Google Play ou na App Store.

O número pode não representar o total de engajamento que o streaming gerou no território estadunidense (afinal, ele não representa sequer o volume inicial de assinantes), mas dá uma dimensão do interesse que o Peacock despertou entre o público.

Isso inclui perspectiva, é claro: embora 1,5 milhão seja um valor muito abaixo dos 3,2 milhões de downloads que o Disney+ promoveu em suas primeiras 24 horas de vida, ele também é 25% superior ao 1,2 milhão que o Quibi acumulou na primeira semana. Aos olhos da Universal, o resultado em teoria é positivo – a companhia não investiu numa divulgação pesada como a Disney, mas também não está na faixa de um concorrente menor que atualmente passa por todo tipo de crise.

Essa conclusão também pode ser encontrada dentro do ecossistema de aplicativos. Enquanto no Google Play o streaming se mantém na segunda posição desde o dia 17 de julho (além de ficar em primeiro entre os apps que não são dedicados a games), o Peacock atualmente se encontra na 26° posição da App Store depois de ficar no topo entre os dias 15 e 16 de julho – seus primeiros dias de existência. É um desempenho já superior ao Quibi, que já tinha ficado de fora dos rankings apenas uma semana depois da estreia.

A questão é que comparar com o Quibi é em si um ato não muito elogioso, especialmente se considerar que o principal rival do Peacock hoje é a Netflix que tem quase 193 milhões de assinantes estabelecidos e índices de crescimentos fortalecidos com a pandemia. No caso da Universal, há muito chão a se percorrer na guerra dos streamings.

Compartilhe: