prod_1583863070505_1600x1200_v1

“Efeito Hamilton”: suspenso pela pandemia, musical “Diana” será exibido na Netflix

Filmagens acontecerão no próximo mês sem audiência e lançamento deve ocorrer no começo de 2021, alguns meses antes da estreia oficial da peça na Broadway

por Pedro Strazza

Até que demorou para alguém tirar a conclusão de que musicais e peças de teatro estão “em alta” de novo depois do sucesso da versão filmada de “Hamilton” na Disney+. A Netflix confirmou nesta quarta (12) que irá lançar no começo de 2021 as filmagens de “Diana: A Musical”, peça musical inédita da Broadway que teve sua estreia suspensa em março devido à pandemia do coronavírus.

De acordo com o New York Times, o filme que será exibido no serviço de streaming será fruto de filmagens que acontecerão no próximo mês no Longacre Theater, sem audiência para evitar qualquer risco de contaminação e com a presença de todo o elenco titular do musical. A realização das gravações foi aprovada pelo Actor’s Equity Association, sindicato que teve acesso ao protocolo de segurança elaborado pela produção do espetáculo – que também engloba os ensaios e a criação do disco com as músicas da peça.

No anúncio, os produtores Beth Williams e Frank Marshall escrevem que “Embora não há um substituto para o teatro ao vivo, nós estamos honrados em ser parte do entretenimento de qualidade providenciado pela Netflix aos assinantes de todo mundo”, além de declarar estarem “animados para finalmente compartilhar nosso show com os amantes do teatro” e confirmarem que a peça continua prevista para estrear no próximo dia 25 de maio.

O musical “Diana” no caso é uma biografia teatral de Diana Frances Spencer, a falecida princesa de Gales que muitos conhecem como Princesa Diana ou Lady Di e ficou muito famosa por ter se divorciado do príncipe Charles nos anos 90. Dirigida por Christopher Ashley e com coreografias de Kelly Devine, a produção descreve a montagem como “uma história de uma das mais famosas mulheres da era moderna conforme ela luta para suportar o holofote mais brilhante que o mundo já conheceu” e conta com Jeanna de Waal no papel titular.

Embora esta não seja a primeira ocasião em que a Netflix compra os direitos de exibição de uma versão filmada de uma peça – a companhia lançou no ano passado “American Son” – é difícil não pensar no timing da aquisição em relação ao sucesso avassalador de “Hamilton”, que só na primeira semana no Disney+ alavancou os downloads do aplicativo do streaming em 79%. O próprio CEO Reed Hastings elogiou o desempenho do musical na concorrência na última reunião com os investidores, classificando o sucesso do produto como o tipo de acontecimento inevitável que a plataforma busca isolar na audiência.

Compartilhe: