fbpx
fAwfLSqGsIDtHkGFX4LnXAyGepl

Superou até “The Office”: “Soul” foi a produção mais assistida do streaming nos EUA durante o Natal

Animação rendeu 1,669 bilhão de minutos assistidos pelo público norte-americano, o que sugere que o filme foi visto cerca de 17 milhões de vezes só no país

por Pedro Strazza

O fim de 2020 entre outras tantas coisas foi marcado por mais um embate importante nos serviços de streaming, conforme o Disney+ e o HBO Max marcaram para o mesmo dia 25 de dezembro o lançamento de “Soul” e “Mulher-Maravilha 1984”. Embora até o momento não se saiba quem “venceu” a briga por atenção no Natal, a Nielsen nesta sexta (22) confirmou o óbvio: pelo menos nos EUA, a mais recente animação da Pixar foi muito, muito bem.

De acordo com o levantamento realizado pela entidade, entre os dias 21 e 27 de dezembro o novo filme de Pete Docter registrou cerca de 1,669 bilhão de minutos assistidos e liderou o ranking de conteúdos mais assistidos nos serviços da Netflix, Disney+, Hulu e Amazon Prime Video. O feito é impressionante porque supera títulos como “The Office”, que pelo menos enquanto na Netflix se manteve presença constante do ranking, e “Bridgerton”, estreia maior entre as séries e que rendeu 1,2 bilhão de minutos assistidos com 8 episódios disponíveis.

Em termos práticos, o número sugere que “Soul” teria sido visto em torno de 17 milhões de vezes no país, um feito e tanto para um filme. Para efeitos de comparação, os outros 2 títulos que aparecem entre os 10 mais assistidos do ranking da Nielsen na semana são “O Céu da Meia-Noite” e “Crônicas de Natal 2”, cujos volumes de minutos consumidos pelos norte-americanos (1,1 bilhão e 660 milhões de minutos) sugerem que foram assistidos respectivamente cerca de 9 e 5 milhões de vezes. Isso, claro, considerando que todo minuto registrado pertença a uma sessão completa de cada uma das produções.

Para a Disney, o número é um belo de um indicativo do tamanho do impacto que uma produção pode ter na Plus caso disponibilizada sem qualquer pagamento intermediário extra. O número é significativamente maior que o de “Mulan”, o outro filme do serviço que apareceu no ranking desde sua criação: em outubro, o remake em live-action da animação registrou parcos 525 milhões de minutos consumidos pelos norte-americanos no fim de semana de estreia, amargando uma décima colocação.

A grande dúvida agora é “Mulher-Maravilha 1984”. Com a Nielsen ainda não medindo a audiência do HBO Max e a dúvida pendente sobre se a WarnerMedia irá divulgar quaisquer dados durante a próxima reunião trimestral com os acionistas, é difícil saber qual foi o impacto da continuação da franquia estrelada por Gal Gadot no mercado e se a aposta do estúdio em um modelo de estreia simultânea no streaming e nos cinemas norte-americanos deu certo.

Em termos de alcance nas redes sociais, porém, o cenário já aponta ser mais difícil para a Warner. Os dados do Google Trends apontam que embora sendo o título mais comentado e buscado no fim de semana de estreia, o alcance de “Mulher-Maravilha 1984” teve retornos inferiores a “Soul” nos dias posteriores, auxiliado em parte pela recepção dividida e talvez pelo lançamento no streaming em apenas um território – coisa que a animação da Pixar não passou.

Você pode conferir abaixo o ranking completo de audiência da Nielsen. Como dito anteriormente, os dados são referentes apenas aos EUA e foram coletados entre 21 e 27 de dezembro de 2020.

“Soul” (Disney+): 1,7 bilhão de minutos assistidos
“The Office” (Netflix): 1,4 bilhão de minutos assistidos
“Bridgerton” (Netflix): 1,2 bilhão de minutos assistidos
“O Céu da Meia-Noite” (Netflix): 1,1 bilhão de minutos assistidos
“The Mandalorian” (Disney+): 1 bilhão de minutos assistidos
“O Grinch” (Netflix): 705 milhões de minutos assistidos
“The Crown” (Netflix): 700 milhões de minutos assistidos
“Grey’s Anatomy” (Netflix): 691 milhões de minutos assistidos
“Crônicas de Natal 2” (Netflix): 660 milhões de minutos assistidos
“Criminal Minds” (Netflix): 648 milhões de minutos assistidos

E se você já viu “Soul”, vale a pena ler a crítica do site aqui ou escutar o Cinemático sobre o filme abaixo.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link