fbpx
Biz-trump-1014100170
Imagem: Brendan Smialowski/Getty Images

TRUTH: conheça a rede social de Donald Trump que durou apenas algumas horas

Antes mesmo de a plataforma ser lançada, pessoas conseguiram se inscrever e postar mensagens que o ex-presidente não ia gostar de ler

por Carolina Firmino

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump e sua equipe recentemente anunciaram o lançamento da rede social TRUTH para o início de 2022, com os testes começando em novembro. No anúncio, o grupo afirmava que a plataforma era parte de esforços para lutar contra “as grandes empresas de tecnologia do Vale do Silício, que usaram seu poder unilateral para silenciar vozes opostas na América”.

Tudo certo até aí, mas os testes se iniciaram antes, algo que alguns fanfarrões da internet descobriram imediatamente. Com a segurança falha, demorou apenas algumas horas para que o site da versão teste fosse encontrado e desconfigurado. De acordo com o The Washington Post, entre as “brincadeiras” feitas, alguém se inscreveu com o nome de usuário “donaldjtrump” e postou a foto de um porco defecando.

Apesar de já ter sido retirado do ar, o Engadget reporta que um dos repórteres do Post conseguiu se inscrever com o nome “mikepence” sem enfrentar qualquer impedimento. Sobre a interface de TRUTH, as imagens da AppStore mostram, praticamente, um clone do Twitter, em que os usuários podem postar “truths” semelhantes a tweets e compartilhar como “re-truths”, como os retweets. O feed é chamado de “Truth Feed” e há também um sistema de notificação.

Por fim, além de ter revelado o código-fonte original de TRUTH, o site teste também deixou à mostra os termos de serviço. Entre eles, está a informação de que a rede pretende ser protegida pela Seção 230 da Lei de Decência nas Comunicações, a mesma que Trump sempre criticou. Em 2020, o ex-presidente assinou uma ordem que limitava sua vigência logo após o Twitter checar um tweet falso feito por ele. No entanto, a determinação nunca foi imposta de forma significativa, sendo completamente revogada pelo atual presidente, Joe Biden.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link