Netflix-CEO-Reed-Hastings-to-get-pay-rise-to-34.7MILLION

Netflix bate metas de crescimento em 1° trimestre contra Apple TV+ e Disney+

Serviço de streaming ganhou 8,8 milhões de novos usuários nos últimos três meses de 2019, graças em parte ao aumento de popularidade da plataforma na Europa, no Oriente Médio e na Ásia

por Pedro Strazza

A Netflix enfim divulgou na tarde desta terça-feira (21) o seu relatório fiscal do último trimestre de 2019, um documento que vinha sendo aguardado com expectativa perante a curiosidade do mercado sobre o status da companhia após a entrada da concorrência pesada da Apple e da Disney no streaming. Mas pelo que dá a entender os números, a empresa de Reed Hastings a princípio só se deu bem nesta reta final do ano, ainda mais se considerar que o serviço registrou um crescimento acima do esperado no número de assinantes.

De acordo com o relatório, os números subiram tanto nos Estados Unidos quanto no globo, com a Netflix ganhando 8,8 milhões de novos usuários e chegando a um total de 167 milhões de assinantes. Além de ser quase um milhão de usuários maior que o antecipado por analistas, este crescimento é 20% maior em relação ao mesmo período em 2018 e se deve em grande parte à performance acima do esperado do streaming em mercados da Europa, Oriente Médio e da Ásia, que juntos foram responsáveis por 3,13 milhões dos novos assinantes.

Nos EUA e no Canadá, enquanto isso, a companhia segue sofrendo com a saturação do mercado. A Netflix viu de novo as taxas de crescimento nessas regiões despencar ao registrar apenas 550 mil novos usuários, um número abaixo dos 610 mil do terceiro trimestre e dos 1,75 milhão do mesmo período em 2018. Aos investidores, a empresa escreve que este “agravamento” se deve principalmente ao aumento dos preços de assinatura nos dois países – uma decisão tomada em decorrência do mercado mais competitivo – mas busca tranquilizar a situação dizendo que o tempo médio gasto pelo usuário dentro da plataforma cresceu tanto no mercado doméstico estadunidense quanto no resto do mundo.

A expectativa agora para o começo de 2020 é de ainda mais crescimento, aos olhos da empresa. De acordo com o relatório, a Netflix projeta acrescentar 7 milhões de novos assinantes à base de usuários e uma renda de 5,73 bilhões de dólares até o fim do primeiro trimestre, aproveitando o que Hastings classifica como o “belo começo adiantado” que a companhia teve no mercado de streaming em relação à concorrência. A maior presença internacional e o alavancamento dos gastos em conteúdos devem ter grande responsabilidade nesse jogo.

Junto do relatório financeiro, a Netflix também divulgou novos dados de audiência que contam com métricas no mínimo duvidosas – leia mais.

Compartilhe: