Facebook renomeia carteira digital da Libra para Novi

Plataforma financeira da companhia continua sem data de lançamento, mas confirma uso de documentos governamentais para uso

por Pedro Strazza

O Facebook anunciou nesta terça (26) que renomeou a Calibra, a carteira digital de sua vindoura moeda Libra, para o nome Novi. A ser tocada pela agora rebatizada subsidiária Novi Financial, o novo título surge da combinação das palavras do latim “novus” e “via”, que juntas formam a fala “nova forma”. A remodelação acompanha um novo design do logo, que incorpora o símbolo da Libra ao interior da letra “O” – confira acima.

A mudança acontece quase um ano após a companhia de Mark Zuckerberg anunciar ao mundo a moeda digital, que desde então enfrenta todo tipo de questionamento e pressão regulatória a ponto de perder um quarto dos membros originais do projeto – incluindo aí nomes grandes das finanças como Visa e Mastercard. Apesar dos contratempos e da mudança de nome da carteira, o Facebook escreve no anúncio do Novi que se mantém comprometido com a missão da Libra de tornar a circulação de dinheiro tão fácil quanto uma troca de mensagens, com planos de lançar um aplicativo próprio ao Novi e integrá-lo ao WhatsApp e o Messenger.

A companhia realizou algumas mudanças no futuro modo de operação da Libra e do Novi, porém, incluindo aí a confirmação de que a moeda digital não será a única na plataforma ligada aos diversos câmbios ao redor do globo. No recém-criado site da Novi, o Facebook escreve que haverão múltiplas moedas coexistindo na rede e conectadas aos valores já existentes, incluindo por enquanto o dólar, a libra do Reino Unido e o Euro. O aplicativo também exigirá do público uma identificação governamental (como CPF ou RG) para permitir o acesso, ainda que a velocidade de transferência do dinheiro ainda seja a maior atração vendida pela empresa com o serviço.

Não foi desta vez que o Facebook anunciou uma data de lançamento de sua moeda digital, porém, uma manobra que não acontece sem motivo. Embora tenha confirmado no início do mês três novos membros ao conselho regulatório da Libra – a Temasek, a Paradigm e a Slow Ventures – a companhia ainda precisa lidar com os múltiplos conflitos envolvendo a iniciativa, incluindo um banimento prévio na França e seguidos embates com o Congresso dos Estados Unidos.

Compartilhe: