THE OLD GUARD

“The Old Guard” foi visto por 78 milhões de contas no mês de lançamento, segundo a Netflix

"Cobra Kai" liderou audiência entre as séries, com mais de 50 milhões de contas assistindo os episódios; empresa não bateu as metas de crescimento no último trimestre

por Pedro Strazza

A Netflix divulgou nesta terça (20) o seu relatório trimestral com os resultados financeiros dos últimos três meses e, apesar das questões com as metas de crescimento, o grande destaque foram mesmo os resultados dos novos originais da companhia entre o público. A surpresa é que “The Old Guard” acabou se convertendo no maior fenômeno de audiência global da plataforma, com pelo menos 78 milhões de contas parando para assistir o filme de ação estrelado por Charlize Theron.

Os dados como sempre são dúbios numa perspectiva de audiência real por conta da régua da Netflix, que conta como visualização quem passou até dois minutos assistindo o conteúdo, mas ainda são importantes enquanto medição da popularidade dos títulos dentro do catálogo. Neste sentido, o último trimestre foi extraordinário para a plataforma: além de “The Old Guard”, “Power” e “A Barraca do Beijo 2” também registraram taxas altíssimas de público, com respectivamente 75 milhões e 66 milhões de contas assistindo as produções nas primeiras quatro semanas “em cartaz”. Quem também está bombando no serviço é “Enola Holmes”, com a companhia projetando um público de em torno de 76 milhões de usuários até o fechamento de seu primeiro mês de vida no streaming – que acontece no próximo dia 23 de setembro.

Com isso, a Netflix em tese tem quatro lançamentos do último trimestre já no ranking de filmes mais assistidos da história do serviço, com “The Old Guard” à frente e pelo menos na quinta posição da lista – e com possibilidade de subir ainda mais, dado que “Esquadrão 6” na última medição estava com 83 milhões de visualizações na plataforma. Nenhum dos novos títulos conseguiu bater “Resgate” e “Troco em Dobro”, porém, que seguem sendo os maiores lançamentos do ano e (no caso do primeiro) da história do serviço.

Enquanto isso, algumas das inúmeras séries lançadas no último trimestre também deram ótimos resultados à companhia. De acordo com a Variety, o relatório da Netflix aponta que a recém-comprada “Cobra Kai” foi o maior sucesso do streaming nos últimos três meses, acumulando 50 milhões de contas assistindo aos episódios desde sua entrada no catálogo só na semana do lançamento. O sucesso está de acordo com o mais recente relatório da Nielsen, que aponta que só na primeira semana a continuação de “Karate Kid” gerou nos Estados Unidos um consumo de 2,17 bilhões de minutos assistidos.

Outros seriados que se deram muito bem no serviço foram “Ratched”, o derivado de “Um Estranho no Ninho” de Ryan Murphy, que arrebanhou um público de 48 milhões na estreia; “The Umbrella Academy”, cuja segunda temporada atraiu 43 milhões de contas; e “Lucifer”, cuja temporada mais recente produzida pela Netflix chamou a atenção de 38 milhões de usuários. Os documentários “Cenas de um Homício: Uma Família Vizinha” e “O Dilema das Redes” também fizeram sucesso, com projeções da empresa apontando audiências na faixa de 52 milhões e 38 milhões nos primeiros 28 dias de vida, respectivamente.

Todos esses dados em tese atenuam um cenário de frustração no financeiro da Netflix, que na reunião com os acionistas confirmou que não bateu as metas de crescimento no número de usuários do trimestre. Ainda que a companhia só tenha registrado 2,2 milhões de novos usuários ao invés dos 2,5 milhões esperados, porém, a arrecadação superou as expectativas ao alcançar a marca dos US$ 6,44 bilhões.

A notícia é ótima para os CEOs Reed Hastings e Ted Sarandos, que na carta aos investidores confirmam ter antecipado o trimestre “instável” e projetam que a produção de conteúdo do serviço deve manter os índices de crescimento em 2021 mesmo com a atual pandemia. Tudo para manter uma rede de segurança à inevitável queda no número de novos assinantes no ano que vem, inevitável por conta dos altos índices registrados com o isolamento social em 2020.

Compartilhe: