Google+ vaza dados de 52 milhões de usuários e Google antecipa fim da rede social

Graças à nova falha de segurança, rede social que sairia do ar em agosto agora encerrará as atividades em abril

por Soraia Alves

Em outubro, o Google revelou que uma falha de segurança no Google+ permitiu que alguns desenvolvedores tivessem acesso aos dados pessoais de 500 milhões de usuários da plataforma. Na ocasião, a empresa também aproveitou para anunciar que encerraria a rede social em agosto de 2019.

Porém, uma nova falha de segurança fez com que o Google antecipasse o fim do Google+ para abril de 2019. A empresa confirmou na última segunda-feira (10) que um novo incidente na plataforma acabou expondo os dados pessoais de 52,5 milhões de usuários.

Segundo o Google, o problema aconteceu em novembro e permitiu novamente que desenvolvedores tivessem acesso a nome, data de nascimento, e-mail, ocupação e outras informações dos usuários mesmo que elas estivessem no modo privado – ou seja, não visíveis no perfil da rede social. Ainda assim, a empresa garante que não encontrou evidências de que esses dados foram utilizados por alguém.

O “flop” do Google+ não é novidade. Criado em 2011 para competir com o Facebook, a plataforma nunca caiu no gosto do público e também nunca apresentou nada de muito interessante que pudesse mudar essa situação.

Compartilhe: