Mesmo com fim da pandemia, metade do quadro administrativo da Petrobrás vai continuar a trabalhar de casa

Decisão foi tomada para ajudar a economizar custos e sob inúmeros pedidos dos próprios funcionários da estatal

por Pedro Strazza

Não são apenas as grandes companhias do Vale do Silício que consideram implementar o home office como parte de sua operação mesmo com o fim da pandemia. De acordo com a Reuters, a Petrobrás decidiu esta semana que metade do corpo administrativo da companhia estatal vai continuar a trabalhar de casa em caráter permanente, tornando-se assim o primeiro grande nome do mercado de petróleo e gás natural a instituir oficialmente o modelo como parte de sua operação.

Com 21 mil funcionários da área, a empresa mantém desde março todo o corpo de trabalhadores em regime de home office para contribuir na prevenção do coronavírus e respeitar o isolamento social, mas declara à agência de notícias que a experiência teria revelado novas formas de cortar custos em itens como aluguel de escritórios. O procedimento será apresentado de maneira opcional aos empregados, porém, e não vale para outras áreas como de refinaria e trabalho em plataformas – que somam sem as subsidiárias cerca de 46 mil operários. O movimento também está sendo considerado para a Transpetro, a parte da empresa dedicada a logística de distribuição.

O curioso é que a medida também acontece por conta da alta de pedidos feitos pelos funcionários sobre a implementação do home office. Segundo a Petrobrás, mesmo sendo opcional a expectativa da companhia é de que pelo menos dez mil trabalhadores aceitem a transição dos escritórios para o lar – e há discussões de sistemas rotativos em determinados departamentos, para permitir que todos os interessados desfrutem da opção.

Além de acontecer num cenário de crise para a Petrobrás, com a estatal sendo obrigada a reduzir custos de até 8,1 bilhões de dólares até 2023, a decisão também surge num momento em que as corporações dedicadas ao meio online consideram implementar a medida em seus ambientes de trabalho. Enquanto o Twitter já confirmou dar permissão aos funcionários para continuar no sistema após o momento mais rígido do isolamento social, o Facebook irá retomar operações nos escritórios em julho com apenas 25% do quadro.

Compartilhe: