fbpx
cover-netflix7

Netflix já está mais presente em lares brasileiros do que TV por assinatura

Mercado brasileiro atualmente é o maior do mundo depois dos Estados Unidos

por Matheus Fiore

Mesmo que já existisse anteriormente como serviço de filmes em mídia física desde 1997, a Netflix está no Brasil há apenas uma década, e nesse período, teve justamente o grande salto que tornou a empresa no maior streaming do mundo. O Brasil se tornou, ao mesmo tempo, um dos principais mercados para a gigante americana, e segundo a Bernstein, é hoje o maior mercado do mundo para o streaming fora dos Estados Unidos.

A estimativa não é exata, já que a Netflix não disponibiliza todos os números para comparação, mas a agência de Wall Street acredita que, hoje, nosso país tenha cerca de 17 milhões de assinantes espalhados por todas as regiões do Brasil. O número se torna ainda mais impressionante se levarmos em conta que, hoje, o número de assinantes da Netflix no Brasil já é superior ao número de lares com serviços de televisão à cabo.

O relatório da Bernstein aponta como principal fator para o sucesso do streaming o fato de oferecer um serviço que custa em torno de 25% do valor de uma TV por assinatura e, de quebra, com um conteúdo mais atrativo para o nosso mercado. Além de muitos filmes e séries americanos, a Netflix também tem investido em conteúdo original feito por e para brasileiros, como as séries “3%” e “Boca a Boca”.

Com a iminente chegada de dois concorrentes de peso, o Disney Plus e o HBO Max, a Netflix tende a continuar investindo em conteúdo original brasileiro justamente para manter seus assinantes. Outra mudança que não deve demorar para acontecer é a empresa começar a transmitir conteúdo ao vivo, o que possibilitaria disputar por transmissão de eventos como, por exemplo, a Liga dos Campeões da Europa, principal torneio futebolístico do mundo.

Ainda é cedo para projetar como o público consumidor vai reagir diante da chegada de outros streamings. Entretanto, é mais fácil imaginar que serviços de televisão paga percam espaço para outros streamings, em vez de a Netflix reduzir seu alcance em território brasileiro. Não por acaso, gigantes como a Globo têm investido em seus próprios serviços de streaming, como o Globo Play.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link