c0izdYdnTe4uMRifHgvTA85wPz0
Imagem: Divulgação

Mesmo em trimestre mais fraco, “Army of the Dead” e “Paternidade” chegam a 70 milhões de visualizações na Netflix

"Sweet Tooth" e "Shadow and Bone" também foram assistidos por grande parte do público da plataforma em trimestre de poucos novos assinantes e receita diminuída

por Pedro Strazza

A Netflix divulgou a seus acionistas nesta terça (20) o relatório financeiro do segundo trimestre de 2021, e na onda do começo do ano o serviço de streaming segue afetado pelos avanços da vacinação e do controle cada vez maior da pandemia. O documento aponta que o serviço de streaming garantiu apenas mais 1,5 milhão de assinantes nos últimos 90 dias, além de conseguir uma receita de US$ 7,3 bilhões. O serviço agora conta com 209 milhões de assinantes.

Como o The Hollywood Reporter reporta, os números revelados são modestos em relação ao que a Netflix registrou no segundo semestre de 2020 (em especial no último trimestre) mas superam as projeções pequenas que a companhia fez para este período. Enquanto a plataforma cresceu em um milhão sua base de assinantes na região da Ásia, ela também perdeu em torno de 400 mil usuários nos EUA e no Canadá. Na reunião com investidores, o CFO Spencer Neumann voltou a confirmar que a instabilidade se deve no fim aos efeitos da pandemia no comportamento do usuário, uma espécie de contrabalanço à explosão de crescimento do ano passado.

Não que a situação esteja tão instável assim para a Netflix no momento. Enquanto a companhia projeta a entrada de 3,5 milhões de novos usuários para o próximo trimestre e – segundo a Nielsen – ocupa atualmente em torno de 7% do consumo de streaming nos EUA (o maior do segmento), a plataforma também viu um maior número de originais alcançando altos índices de audiência em relação ao começo de 2021, quando “Zona de Combate” foi o único a bater a marca de 60 milhões de contas no alcance – isso, claro, seguindo a regra de consumo de dois minutos, ainda válida para este relatório.

Já neste trimestre o serviço chegou a 3 “hits” ultrapassando essa marca: os filmes “Army of the Dead” e “Paternidade”, que foram assistidos por respectivamente 75 e 74 milhões de contas em seu primeiro mês de disponibilidade, e a série “Sweet Tooth”, cujo público global no mesmo período foi de 60 milhões de usuários. As séries “Shadow and Bone” (55 milhões de contas atingidas) e “Lupin” (54 milhões) e a animação “A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas” (53 milhões, um recorde para a categoria) também obtiveram sucesso dentro das métricas da empresa.

Enquanto a Netflix também confirmou seus planos de expansão para o mercado de games e diz estar confiante no sucesso de produções como a animação “Vivo”, o terceiro “A Cabine do Beijo” e as novas temporadas de “La Casa de Papel” e “Sex Education” para os próximos 90 dias. Além disso, a empresa comentou as recentes movimentações de compra e venda no mercado audiovisual – incluindo a saída da WarnerMedia da AT&T e a aquisição da MGM pela Amazon – como “exemplos” da consolidação do meio durante a transição da TV para o streaming. “Nós não acreditamos que esta consolidação afeta muito nosso crescimento, senão por completo” escreve a companhia no relatório.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link