Filmes protagonizados por mulheres fizeram maiores bilheterias que os por homens entre 2014 e 2017, aponta estudo

Pesquisa também apontou um crescimento de aprovação de blockbusters no teste de Bechdel, que verifica o grau de participação feminina nos filmes

por Matheus Fiore

Como reportou a Variety, um novo estudo mostra que no período entre 2014 e 2017 os filmes protagonizados por mulheres tiveram desempenho superior ao de obras protagonizadas por homens na bilheteria.

Feito em parceria entre a Creativity Artists Agency e a empresa de tecnologia Shift7, o estudo criou esta análise inspirado pelo movimento Time’s Up, que surgiu no último ano para valorizar a representação das mulheres na indústria cultural. O grupo que liderou a pesquisa é formato pela ex-presidente da Sony Pictures, Amy Pascal, pela CEO da própria Shif7, Megan Smith, e pela produtora Liza Chasin.

O projeto analisou 350 filmes com destaque na bilheteria lançados no período, dividindo-os em cinco categorias baseadas em seu retorno: abaixo de U$ 10 milhões, entre U$ 10 e US 30 milhões, entre U$ 30 e U$ 50 milhões, entre U$ 50 e U$ 100 milhões e acima de U$ 100 milhões. Para determinar quais obras são protagonizadas por mulheres, o estudo considerou obras que tivessem atrizes listadas em papéis principais nos créditos dos filmes, em releases de imprensa ou documentos do filme.

Uma curiosidade é que o estudo constatou que todo filme que ultrapassou a marca de 1 bilhão de dólares passa no teste de Bechdel. O teste, criado para identificar o nível de participação feminina em uma obra, avalia se o filme tem, no mínimo, duas personagens femininas, se essas personagens dialogam entre si, e se elas falam sobre algum assunto que não envolva homens. Alguns dos filmes de maior sucesso dos últimos anos, como “Star Wars: Os Últimos Jedi”, e “Mulher Maravilha” passam no teste.

Compartilhe: