BAFTA vai revisar processo de votação após edição de 2020 contar apenas com atores brancos nas categorias de atuação

BAFTA vai revisar processo de votação após edição de 2020 contar apenas com atores brancos nas categorias de atuação

Reação do público à lista da premiação britânica é semelhante à que desencadeou o #OscarSoWhite há poucos anos

por Matheus Fiore

O BAFTA, conhecido muitas vezes como o “Oscar britânico”, divulgou há poucos dias sua lista de indicados de sua edição 2020. Uma característica entre os candidatos chamou atenção, porém: não há nenhum negro, latino ou asiático nas categorias de atuação.

A reação da internet obviamente não foi positiva, e o caso ganhou ainda mais destaque pelo fato de também só haver diretores homens entre os indicados da categoria. Agora, o BAFTA anunciou que está planejando uma reformulação em seu processo interno de eleição dos candidatos ao prêmio.

Marc Samuelson, presidente do comitê de cinema do BAFTA, admitiu publicamente que a ausência de variedade racial nas categorias citadas incomoda a Academia Britânica das Artes Televisivas e Cinematográficas. A ideia é ter um novo cenário já na próxima edição, que acontecerá daqui a um ano, em 2021.

A fase inicial de votação do BAFTA para decidir os candidatos é feita entre os membros da academia britânica. O prêmio conta também com a participação de júris selecionados em algumas categorias. Ao todo, 6500 membros do BAFTA votam nas quatro categorias de atuação.

Para o prêmio de 2020, o BAFTA indicou, por exemplo, Jessie Buckley (“As Loucuras de Rose”), Scarlett Johansson (“História de um Casamento”), Saoirse Ronan (“Adoráveis Mulheres”), “Charlize Theron (“O Escândalo”) e Renée Zellweger (“Judy: Muito Além do Arco-Íris”). Uma das maiores reclamações é a ausência de Lupita Nyong’o, que foi muito elogiada ao longo do ano por seu trabalho em “Nós”, de Jordan Peele. Outros atores ignorados e que se destacaram são Jennifer Lopez e Eddie Murphy (“Meu Nome é Dolemite”).

Polêmicas do tipo não são novas na indústria. Há poucos anos, a hashtag #OscarSoWhite se tornou a marca de uma das premiações da Academia americana, em uma temporada na qual praticamente todos os trabalhos de atores e diretores negros, latinos ou de outras etnias foram ignorados pelo Oscar.

Compartilhe: