Com diversos estilos de animação, nova campanha da Bodyform celebra as múltiplas histórias do útero

Com diversos estilos de animação, nova campanha da Bodyform celebra as múltiplas histórias do útero

Sucessor espiritual da premiada "Viva La Vulva", "Womb Stories" busca trazer à tona os temas e questões relacionados ao órgão que ainda são tabu na sociedade

por Pedro Strazza

Um ano e meio depois de causar furor nas redes sociais com a premiada “Viva La Vulva”, a Libresse enfim está de volta com uma nova campanha dedicada ao feminino e tão poderosa quanto a antecessora.

Intitulada “Womb Stories” e com criação da Framestore em parceria com a Nick & Nadja, a nova ação foi feita para a colega de portfólio Bodyform e gira toda em torno de um comercial de mais de 3 minutos, que reúne uma vastidão de histórias e momentos relacionados à experiência feminina com o útero. O bacana é que a peça não apenas passa por todo tipo de tema delicado e até tabu na sociedade – como endometriose, infertilidade e menopausa – mas busca retratar cada um destes com um estilo de animação diferente, desde o stop-motion até técnicas de ilustração 2D mais rústicas e até uso de VFX. Confira acima na íntegra.

A marca declara que são seis sequências completas de animação pulverizadas ao longo do vídeo, cujo objetivo é mostrar “os mundos internos que agem como reflexos da realidade do útero”. “Era importante que estas animações produzidas para o filme não apenas ficassem o melhor possível, mas também gerasse um impacto emocional no público por conta da natureza do comercial” escreve a diretora criativa da Framestore Sharon Lock na divulgação.

Além do comercial, a Bodyform também está lançando esta semana a ação “#wombstories” no Reino Unido, à procura de pessoas nas redes sociais que estejam dispostas a compartilhar suas histórias de vida relacionadas ao órgão – quebrando assim o tabu em torno do útero. Essa preocupação não vem à toa: um estudo recente comandado pela companhia revela que 2/3 das mulheres no mundo que passaram por situações de aborto espontâneo, endometriose e problemas de fertilidade no geral se mostram mais abertas aos familiares e amigos que a ajudaram durante estes momentos mais críticos de saúde, além de 21% do público feminino no todo sentir que a sociedade busca silenciá-las sobre estas experiências.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link