Coletivo lança lista com os 25 jovens que mais buscaram mudar os rumos da publicidade em 2018

Publicação do Papel & Caneta contempla nomes por trás de projetos como “Meu Melhor Defeito”, Fair Lions e até do disco “BLUESMAN”

por Pedro Strazza

O Papel & Caneta lançou recentemente em sua conta no Medium uma lista com os 25 nomes que lutaram e ajudaram a mudar a indústria da publicidade no Brasil em 2018.

O coletivo sem fins lucrativos resolveu conceber a publicação para fazer uma contraposição às tradicionais listas de fim de ano feitas por grandes veículos do meio, que preferem dar destaque a vice-presidentes, CEOs e chefes criativos ao invés de enaltecer projetos que efetivamente tentam sair da rotina diária de agências para tentar promover mudanças no meio – especialmente no campo da diversidade. “Em uma indústria onde a presença de negros em cargos de liderança é menor que 0,7% e o número de mulheres na criação ainda não atinge 20%, é essencial reconhecer e valorizar quem está começando e lutando para mudar essa realidade” afirma André Chaves, idealizador da entidade e um dos organizadores por trás do ranking.

Composta de 12 homens e 13 mulheres, a lista foi criada após uma semana de discussões e pesquisa para encontrar os nomes essenciais que mais representam os valores da publicação. Entre os escolhidos, destacam-se nomes que tanto impressionaram no exterior – como Jéssica Gomes, redatora que foi escolhida para representar o Brasil no “See it Be It” do Cannes Lions, e a dupla Ananda Pires e Lidiane Angelo, que foram responsáveis pela divulgação do álbum de estreia de Bacu Exu do Blues – quanto no próprio país, a exemplo dos responsáveis pelo manifesto “Meu Melhor Defeito” e o estudo “Hostilidade, Silêncio e Omissão” (sobre assédio no mercado de comunicação).

Confira abaixo a lista completa dos 25 jovens que lutaram para mudar a indústria. As justificativas e os detalhes sobre cada um dos projetos podem ser lidos no Medium:

  • Jéssica Gomes, redatora escolhida para representar o Brasil no “See it Be It” no Cannes Lions este ano;
  • Mike Mendes e Rafael Moura, criadores do Cultura Jovem de Perifa;
  • Gabriela Guerra e Leandro Bordoni, criadores do Fair Lions
  • Jef Martins, criador do Enegrecendo a Propaganda e outros eventos de ocupação do meio por mulheres, LGBTQ+ e negros;
  • Lara Thomazini, responsável pelo estudo “Hostilidade, Silêncio e Omissão”;
  • Spartakus Santiago, criador do vídeo “A Família Negra do Boticário”;
  • Nathalia Andrijic e Felipe Gavronski, criadores do projeto SelfStrategy;
  • Brendo Garcia e Adriano Gonfiantini, diretores do filme-manifesto “Meu Melhor Defeito”;
  • Karoline Maia, Carol Rocha e Camila Izidio, responsáveis pela curadoria do Instagram do “Meu Melhor Defeito”;
  • Guter Sá, criador do Instagram “Oxente Your Agency”;
  • Aquiles Filho, idealizador do grupo Publicitários Negros;
  • Maria Paula Picin, criadora do jogo “Women Search Game”;
  • Dennis Silveira, Ana Beatriz Simões e Alexandre Diniz, idealizadores do projeto Mostra a Pasta;
  • Maria Guimarães, responsável pela segunda edição do Mulheres In(visíveis);
  • Gabriela Rodrigues, criadora do Guia de Linguagem Não Sexista;
  • Ananda Pires e Lidiane Angelo, responsáveis pela campanha de divulgação do disco “BLUESMAN” do artista Bacu Exu do Blues;
Compartilhe: