Outbreak of the coronavirus disease (COVID-19), in Manaus

Principais veículos de comunicação do país unem forças para manter atualizados dados da pandemia no Brasil

Dados serão publicados diariamente às 20h em todos os jornais, que vão coletar os números diretamente nas secretarias estaduais

por Pedro Strazza

Os jornais Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo, G1, O Globo, Extra e UOL anunciaram nesta segunda-feira (8) a criação de uma parceria para manter atualizados os dados da atual pandemia do coronavírus no Brasil. O trabalho será feito de forma colaborativa e acontece em decorrência dos últimos dias, no qual o governo de Jair Bolsonaro restringiu o acesso às informações sobre o status da doença no país.

No anúncio vinculado por todos os veículos em seus respectivos sites, a parceria prevê uma divisão de tarefas entre todas as equipes e redações, que vão passar a compartilhar informações entre si para permitir que diariamente o público brasileiro tenha uma noção exata de dados como a evolução, o número de casos testados e positivos e o total de mortes geradas pelo coronavírus. A atualização sempre se dará às 20h, horário de Brasília, em todos os veículos.

Os dados serão coletados nas secretarias de saúde de cada estado do país e buscam suprir itens que deixaram de ser publicados recentemente pela administração federal, como a curva de novos casos, o número acumulado de casos, a quantidade de óbitos e o volume de mortes – todos por data de notificação e por semana epidemiológica. O projeto ainda vai notificar o povo em todos os jornais caso os estados não derem transparência ou forem regulares no fornecimento destes números, reforçando o caráter de interesse público da iniciativa.

Ainda de acordo com o anúncio dos veículos envolvidos, as causas para a criação do esforço de transparência dos dados foram a decisão do governo em alterar o horário de divulgação do relatório diário no intuito de dificultar a publicação no noticiário televisivo (sacramentado na fala “Acabou matéria no ‘Jornal Nacional'” do presidente) e a omissão e mesmo distorção das informações no portal oficial do Ministério da Saúde a partir da última quinta-feira, 4 de junho. Depois de passar quase 20 horas fora do ar, o site retornou apenas com a situação de casos novos da doença, apagando o histórico e os números consolidados da pandemia no país.

“Neste momento crucial, deixamos nossa concorrência de lado por um bem comum: levar à sociedade o dado mais preciso possível sobre a pandemia.” escreve o diretor de redação do O Globo, Alan Gripp, que é também corroborado pelo diretor de redação da Folha Sérgio Dávila: “Numa sociedade organizada como a brasileira, é praticamente impossível omitir ou desfigurar dados tão fundamentais quanto o impacto de uma pandemia. Com essa iniciativa conjunta de levantamento de dados com os estados, deixamos claro que a imprensa não permitirá que nossos leitores fiquem sem saber a extensão da Covid-19”.

Compartilhe: