Depois dos EUA, Facebook News será lançado no Brasil e mais 4 países

Expansão pode ocorrer em algum momento dos próximos seis meses, conforme Facebook busca adequar experiência da seção de notícias à realidade de cada território

por Pedro Strazza

O Facebook divulgou nesta terça-feira (25) os primeiros detalhes do plano de expansão do Facebook News, a seção da rede social dedicada a notícias, e confirmou que o Brasil será um dos primeiros países ao redor do globo a receber a atualização. Além do território brasileiro, Alemanha, França, Índia e Reino Unido também são citados como nações onde a categoria estreia num prazo de seis meses a um ano.

Disponível oficialmente nos Estados Unidos desde junho deste ano, o News é concebido desde outubro de 2019 como uma seção de notícias gerida por curadoria humana. Além de um time de jornalistas moderarem o conteúdo que será disponibilizado aos usuários, a categoria conta como maior ferramenta o “Today’s Stories”, que aproveita o formato de carrossel para repassar as informações mais importantes do dia ao público – o Facebook desde sempre afirma que a área é “livre de intervenção editorial” em qualquer nível, vale ressaltar.

No blog oficial da companhia, o vice-presidente de parcerias com noticiários globais Campbell Brown garante que a plataforma vai pagar os veículos pelo conteúdo fornecido, além de buscar adequar a experiência da seção para a realidade de cada região onde o News for disponibilizado. “Inovação é um elemento crítico para a construção de um ecossistema de notícias sustentável.” escreve o executivo na publicação; “Nós vamos continuar a construir novos produtos e fazer investimentos globais para ajudar a indústria do jornalismo a manter um modelo de negócio duradouro”.

Neste ponto, vale colocar que as adequações citadas por Brown no anúncio se referem principalmente às diferentes legislações a serem enfrentadas pela companhia em cada país onde planeja disponibilizar o News. Como lembra o TechCrunch, a mesma França que foi citada nesta primeira leva de países nos últimos tempos aprovou uma lei que passou a obrigar grandes empresas de tecnologia a pagar a utilização de notícias de terceiros – incluindo o Google, que por lá agora precisa pagar os sites de notícias que disponibiliza na área de notícias de seu buscador.

Resultados existem, ao mesmo tempo. Além dos planos de expansão, o Facebook também divulgou que o tráfego da plataforma voltado aos veículos listados hoje é muito dependente do News, com a seção sendo responsável por mais de 95% dos acessos feitos às notícias pela rede social.

Compartilhe: