Lançaram um serviço de assinatura de fraldas para facilitar a reciclagem do produto

Dyper fornece de 100 a 260 fraldas 100% biodegradáveis por semana aos assinantes e oferece coleta das unidades já utilizadas para realizar o descarte sustentável

por Pedro Strazza

Fraldas são um item indispensável na vida de qualquer papai e mamãe, mas eles também podem ser um estorvo. A enorme quantidade de unidades utilizadas por uma criança durante a semana, entretanto, não apenas complica a vida de quem cuida de bebês mas também do meio-ambiente, obviamente impactado diariamente pelo acúmulo de um produto que nem sempre é biodegradável.

É justo este cenário que levou à criação da Dyper, que aproveita a onda dos clubes de assinatura para lançar um focado em fraldas. Além da entrega semanal de pacotes do produto, a companhia também prevê em seu serviço a “devolução” das fraldas já utilizadas pelos clientes para realizar o devido descarte sustentável.

Disponível por enquanto só nos Estados Unidos, o serviço opera da seguinte forma: a Dyper cobra uma mensalidade de 68 dólares para entregar de 100 a 260 fraldas por semana, a partir das necessidades do cliente e o estágio de vida do bebê; cada unidade é inteiramente fabricada a partir de materiais biodegradáveis – incluindo “fibras viscosas de bambu colhido de forma sustentável” pela companhia – e que podem ser reciclados pelo usuário em qualquer unidade de compostagem. Caso o assinante queira que a Dyper recolha as fraldas utilizadas, porém, o serviço cobra 39 dólares adicionais para aplicar o ReDyper, que através de uma parceria com a empresa de reciclagem TerraCycle garante que todos os itens utilizados tenham um destino verde.

Ao The Verge, o CEO da Dyper Sergi Radovcic escreve que o principal objetivo da companhia é garantir que menos fraldas sejam descartadas em aterros, onde seu reaproveitamento é nulo. Além da venda atual de versões 100% biodegradáveis do produto, o plano é expandir a atuação da empresa e permitir que mais pessoas se livrem de fraldas usadas sem prejudicar o meio-ambiente.

Compartilhe: