Google Maps testa mostrar rotas de viagem com bicicletas compartilhadas em São Paulo e no Rio de Janeiro

Atualização acontece também em outras oito cidades e aproveita o aumento do interesse dos usuários em viagens com o meio de transporte

por Pedro Strazza

[Atualizado 21/7 com mais informações sobre a operação no Brasil]

O Google Maps começou a testar nesta segunda (20) um novo recurso que permite aos usuários traçarem rotas de viagem com base em bicicletas alugadas e – principalmente – estações de compartilhamento do veículo. A atualização foi disponibilizada a princípio em 10 cidades e chega a princípio para prover cidades de auxílio durante a pandemia, conforme o uso de bikes se tornou um meio de transporte mais seguro na hora de evitar o contágio.

A seção é relativamente simples e similar ao que o Maps já faz em outras tantas modalidades – incluindo aí o próprio uso de bicicletas. De acordo com o anúncio oficial, os usuários que optarem pelo estilo de viagem receberão orientações de como proceder a pé até a estação de compartilhamento de bikes mais próximo, além de ter detalhes da quantidade de transportes em cada local. Algumas cidades também contarão com uma opção que redireciona a conta até o sistema de aluguel da estação, facilitando assim o uso das bikes.

Entre as cidades selecionadas para o teste estão as brasileiras São Paulo e Rio de Janeiro, mas o Google também confirma a inclusão de centros estadunidenses como Chicago, Nova York, a baía de São Francisco e Washington. Londres, Cidade do México, Montreal, Taipé e Nova Taipé completam a lista.

A atualização marca o reforço da parceria do Google com o Ito World, que já providenciava informações de estações de bicicletas compartilhadas ao Maps desde o ano passado e deve servir à companhia no esforço de expansão da ferramenta ao resto do globo. No Brasil, enquanto isso, a operação se dará em parceria com a Tembici, que opera o programa Bike Itaú, e outras empresas menores que vão buscar expandir o recurso a outras cidades nos próximos meses.

Interesse não falta: de acordo com o Google, o uso de orientações para viagens com o transporte no Maps aumentaram 69% no globo desde fevereiro, quando o coronavírus começou a atingir mais regiões, e obteve um recorde de uso no aplicativo durante o mês passado.

Compartilhe: