cover-facebook7

Facebook ameaça bloquear compartilhamento de notícias na Austrália

Veto valeria também para o Instagram e é "último recurso" contra projeto de lei do país que obrigaria empresas de tecnologia a pagar veículos de notícia pelas informações compartilhadas

por Pedro Strazza

O Facebook nos últimos dias encara uma grave crise na Austrália, que vem considerando a aprovação de uma lei que obrigaria a empresa e outras do ramo de tecnologia a pagar veículos de notícias pelas matérias que divulgam em suas plataformas. A companhia de Mark Zuckerberg naturalmente não está nada feliz com a ideia e agora ameaça contra-atacar de uma forma bastante drástica: bloqueando o compartilhamento de notícias na rede social e no Instagram.

A medida foi confirmada em carta publicada no blog oficial do Facebook no fim desta segunda-feira (31), na qual o gerente da empresa na região do país e da Nova Zelândia Will Easton classifica a lei elaborada pela Comissão Australiana de Concorrência e Consumidores (ACCC) como uma que “compreende errado as dinâmicas da internet e que irá danificar as mesmas organizações de notícias que o governo busca proteger” com a regulação. O banimento incluiria tanto a divulgação de informações locais quanto internacionais e é visto pela empresa como “um último recurso” na questão.

“A lei proposta não tem precedentes em seu alcance e busca regular todos os aspectos de como empresas de tecnologia tocam negócios com veículos de notícias” escreve Easton; “O mais perplexo é que ela forçaria o Facebook a pagar organizações por um conteúdo que veículos voluntariamente lançam em nossas plataformas a um preço que ignora o valor financeiro que trazemos aos publishers”.

O posicionamento público do Facebook sobre o tema é similar ao do Google, outra companhia que será afetada pela lei caso ela seja de fato aprovada pelo Parlamento australiano nos próximos dias. Há duas semanas, o diretor-gerente da empresa na região Mel Silva também publicou uma carta condenando o projeto, escrevendo que “A lei foi criada para dar tratamento especial às grandes empresas de mídia e incentivá-las a fazer demandas enormes e irracionais que colocariam nossos serviços gratuitos em risco”.

De acordo com o Valor Econômico, o projeto de lei foi encomendado pelo primeiro-ministro Scott Morrison à ACCC no começo do ano, depois que as negociações com as empresas de tecnologia para a elaboração de um código voluntário na área estagnaram. A regulamentação tem grande apoio da News Corp, empresa de mídia hegemônica no país e que também é dona do Wall Street Journal nos EUA.

Além de prejudicar a presença da plataforma, a aprovação da lei australiana e o consequente bloqueio do compartilhamento de notícias na região pode também afetar severamente os planos de expansão da aba de notícias do Facebook, que na semana passada confirmou o planejamento para o próximo ano.

Compartilhe: