Clicky

Copa do Mundo: Nike e Coca-Cola lideram ranking de marcas mais lembradas pelos brasileiros

Copa do Mundo: Nike e Coca-Cola lideram ranking de marcas mais lembradas pelos brasileiros

Estudo mostra que diversas marcas patrocinadoras oficiais do evento são menos lembradas que suas concorrentes

por Soraia Alves

Há poucos meses da Copa do Mundo 2018, a  MindMiners, startup brasileira referência em pesquisa digital, realizou um estudo para identificar qual a relação dos consumidores com as marcas que estão sempre envolvidas com o evento e que desenvolvem campanhas e ações especiais nessa época.

Para entender quais as marcas os consumidores já associam à Copa do Mundo 2018 e quais os hábitos de consumo do brasileiro durante o mundial, a empresa falou com mil pessoas durante seis dias.

Entre os resultados, vemos que a Nike é a primeira marca que vem à cabeça da maioria dos consumidores quando perguntados sobre a Copa, com 24% das respostas e seguida da Coca-Cola (14%). A lista ficou assim:

  1. Nike (24%)
  2. Coca-Cola (14%)
  3. Fifa (12%)
  4. Adidas (12%)
  5. Itaú (3%)
  6. Caixa (2%)
  7. Globo (2%)
  8. Bradesco (1%)
  9. Brahma (1%)
  10. Outras marcas (29%)

A Nike também aparece em primeiro em relação à Seleção Brasileira e ao futebol, enquanto raramente as marcas patrocinadoras da Copa do Mundo são lembradas pelo público. A cerveja mais lembrada, por exemplo, foi a Brahma (27%), seguida de Heineken (24%) e Skol (22%), deixando a Budweiser, que é patrocinadora oficial da Copa, em quarto lugar (7%).

Uma das empresas de maior destaque foi o McDonald’s, que na categoria fast-food ficou com 60% das citações.

Outro dado interessante é que 1/3 das pessoas assumiram que aumentam os gastos durante a Copa do Mundo. Quase metade dos participantes da pesquisa já compraram ou ainda comprarão algum produto especial da a da Copa. Entre os itens que se destacam no consumo estão camiseta da Seleção (23%), TV (15%) e o álbum de figurinhas (12%).

A participação do público em promoções também aumenta nessa época, segundo 1/3 dos entrevistados.

Quanto à situação da Seleção, a maioria os entrevistados acredita no título, e quase metade acha que isso elevaria a sua autoestima como brasileiro. E maioria do público assistirá aos jogos com transmissão da Globo.

Compartilhe: